Conclusões erradas



No ministério


Lupin e Tonks entram na sala onde são guardadas as velas. Nenhum dos dois fala nada, mas ambos se recriminam por não ter pensado nisso antes. Mas como eles poderiam? Sempre se soube que aquele era o véu da morte, não havia como pensar de outra forma, mas mesmo assim eles se recriminam


Tonks suspira e olha para o lobisomem – e agora?


Agora nós procuramos – Lupin fala respirando fundo, vai ser uma procura longa


Eles vêem prateleiras iluminadas ao fundo, e vêem também algumas sem iluminação alguma. Logo detectam que para sua sorte elas estão organizadas em ordem cronológica, basta então ir ao ano em que ele nasceu


Vamos nos separar (Tonks fala) quem encontrar primeiro dá um sinal


O lobisomem assente com a cabeça e ambos começam a sua busca


XXXXX


Em Hogwarts


Harry espera por Gina no salão comunal. Rony e Hermione disseram que ela saiu para dar uma volta e ainda não retornou. O menino que sobreviveu tenta não deixar seu instinto protetor aflorar, mas isso é algo quase impossível principalmente quando um aperto em seu coração lhe diz que algo não está certo


Ela foi dar uma volta por aí e deve ter perdido a hora. A Gina disse que ia andar pelo jardim até o treino acabar – Hermione tenta acalmar o amigo, mas a sua voz demonstra que ela também não está muito segura


É... Pode ser – Harry fala sem querer começar uma discussão. No entanto, o menino que sobreviveu sabe que Gina, tanto quanto ele, espera ansiosamente pelos momentos em que ficam juntos e que ela não demoraria tanto assim


Você disse que ela foi dar uma volta no jardim? – ele pergunta para Hermione já se preparando para ir atrás da namorada


Foi isso que ela falou (Hermione assente com a cabeça) não fique tão cismado, Harry. Ninguém poderia imaginar que o seu treino seria mais curto que os anteriores


Foi mais curto (Harry admite) mas valeu por todos os outros. Eu odeio dar o braço a torcer, mas aquela doninha sabe duelar. Já era pra eu ter voltado, mas o Lupin fez a gente passar na enfermaria antes. Eu estou bem (o menino que sobreviveu acrescenta rapidamente ao ver a cara de preocupação da amiga) só que o treinamento um pouco mais puxado e isso deixa marcas, se é que me entende (ele sorri) e o Malfoy não ficou em situação melhor...


Neste momento seu sorriso morre. Harry recebe um recado, um recado que diz para ele ir à enfermaria com urgência...


XXXXX


Harry entra na enfermaria, quebrando todos os recordes de velocidade, tendo Rony e Hermione a seu encalço. Ninguém falou do que se tratava, mas algo em seu coração lhe dá a certeza que Gina está envolvida, e essa certeza só aumenta ao ver que a diretora está lá


Onde ela está? – ele pergunta, assoberbado


Calma, Potter – Minerva fala como se já esperasse essa reação


Então Harry se dá conta que Draco Malfoy está lá – você! (ele rosna) O que você fez com ela?


Antes que os presentes se dêem conta, o menino que sobreviveu se lança sobre o loiro


Potter!(Minerva fala, exasperada) O que você está fazendo?


O que esse cretino fez com ela? (o moreno pergunta, segurando o loiro pelas vestes e ignorando a repreensão da diretora) Me diga, Malfoy. O que você fez?


Draco respira fundo, buscando uma calma que está longe de sentir. Ele não esperava ser acusado assim, principalmente quando a única coisa que ele fez foi ajudar. Ele tenta se desvensilhar e antes que o loiro fale algo, eles ouvem...


Petrificus totalis!


Os presentes vêem, atônitos, que a própria diretora petrificou Harry e Draco. Minerva respira fundo – perdoem-me. Mas a situação já está complicada demais para que eu permita esse tipo de briga na enfermaria (ela olha para Harry e diz) Potter, esse seu ataque foi irracional e totalmente infundado. Como se a Gina não estivesse sendo ameaçada durante todo esse tempo. Malfoy apenas a encontrou desacordada


Isso é o que ele diz! – Rony fala, exasperado. Ele não chegou às vias de fato como Harry, mas definitivamente o ruivo também não gostou de ver o loiro envolvido


Eu vou retirar o feitiço agora (Minerva fala ignorando o comentário de Rony) mas eu espero que vocês se comportem como pessoas civilizadas


Ao se ver livre do feitiço, Harry tem que reunir todo seu auto controle pra não voar em Draco novamente. Ele respira fundo e diz – muito bem, Malfoy... O que aconteceu?


Draco lhe dá o olhar mais gélido que consegue ao dizer – eu estava andando pelos jardins. Até onde eu sei não há nada que me proíba desde que eu não seja visto, estou certo? (ele olha para a diretora que assente com a cabeça) Eu encontrei a Weasley desmaiada e como não estou de posse da minha varinha eu a carreguei até aqui (ele encara os presentes) agora sobre o que aconteceu... Eu não tenho idéia, vocês devem perguntar pra ela. (ele respira fundo antes de completar) Se eu não sou mais necessário, eu peço permissão para me retirar


O loiro vê a diretora assentir com a cabeça e sai antes que alguém fale alguma coisa


Harry olha para os presentes. Algo em seu íntimo diz que ele foi injusto com Draco. Mas o que ele pode fazer? É mais forte que ele, certos hábitos nunca mudam. Mas antes que ele se sinta propriamente culpado madame Pomfrey chega dizendo que Gina está acordando


Nem bem a enfermeira pronuncia estas palavras, Harry corre em direção a sua amada. Ele vê que além da palidez que Gina sempre apresenta quando se recupera de uma tentativa de dominação, desta vez a ruiva está também coberta de hematomas. Harry respira fundo, tentando se acalmar antes que ele exploda uma janela ou duas. Ele se senta ao lado de Gina e pergunta – O que aconteceu? Foi o Malfoy?


A ruiva olha pra ele sem entender, ela não se lembra de ter visto o Malfoy – Como assim, o Malfoy? (ela indaga)


Harry parece meio sem jeito – É que ele estava aqui... Bem, não importa. O que aconteceu?


Gina respira fundo – eu não me lembro muito bem, eu estava andando pelo jardim quando aconteceu. A voz... Dessa vez parecia mais forte, eu não estava conseguindo resistir. Ele me mandou ir para a floresta proibida


Harry sente seu coração falhar uma batida, ele mais do que ninguém sabe os perigos que a floresta proibida guarda. Gina poderia nunca mais voltar...


A ruiva continua – eu lutei, juro que lutei... Mas ele estava me dominando (ela para por um momento) eu conseguia impedir, mas não por muito tempo e quando eu vi que ele estava vencendo, eu corri em direção ao salgueiro lutador e depois não lembro de mais nada...


Os presentes olham horrorizados para a ruiva, não é difícil adivinhar o que aconteceu. O salgueiro a atacou e por isso Malfoy a encontrou desacordada. Ela poderia ter se ferido muito mais seriamente, o salgueiro lutador poderia facilmente tê-la matado


Você se arriscou muito, Gina – Hermione fala


Eu sei (a ruiva olha para a amiga), mas ele estava conseguindo, eu não tinha escolha


Sim, você tinha, Gina (a diretora fala e Gina pode ver que ela está sorrindo) você tinha a escolha de desistir, de deixar-se dominar. Mas você não quis e mesmo arriscando sua vida você não deixou que ele conseguisse


Gina escuta em silêncio, Minerva continua – você pode até achar que não, mas você usou perfeitamente seu treinamento. Você conseguiu se manter lúcida, você analisou as possibilidades e fez a sua escolha. Uma escolha arriscada, eu admito, mas ainda assim melhor do que se você tivesse se deixado dominar


As palavras positivas da sua mentora fazem com que Gina emita um sorriso fraco. Ela está fraca e basta que madame Pomfrey olhe em seu semblante para que ordene a saída de todos alegando que a ruiva precisa descansar


XXXXX


Enquanto isso em outro local


Fúria não chega nem perto de definir o estado de espírito do Lorde das Trevas. Tudo estava indo tão bem, então sem que ele pudesse explicar a conexão se foi


Ele precisa admitir que não esperava por isso. Gina está se tornando mais forte e o que ele pensou inicialmente que seria uma vantagem acabou se tornando um empecilho


Mas ele não vai desistir, se desistisse das coisas ao encontrar barreiras não teria se tornado Lorde Voldemort, se ele não fosse persistente ainda seria o patético Tom Riddle, o garoto criado num orfanato por culpa de sua mãe estúpida que cometeu o desatino de se apaixonar por um trouxa asqueroso


Seus planos iniciais eram esperar um pouco mais, mas Voldemort precisa de algo para liberar sua frustração. É hora de mostrar aqueles estúpidos um pouco mais do que eu sou capaz...


XXXXX


De volta à escola


Draco Malfoy caminha pelos jardins, exatamente como fazia quando encontrou a Weasley desmaiada a uma curta distância do salgueiro lutador. Em outra ocasião talvez ele tivesse simplesmente ignorado e continuado seu caminho ou talvez aproveitasse a oportunidade para fazer alguma brincadeira maldosa. Ele não sabe dizer por que o seu primeiro instinto foi tomá-la nos braços e a levar para a enfermaria


O loiro não pode deixar de lembrar das palavras do quadro de Dumbledore dizendo que ainda acredita que ele tem uma chance. Ele se pega tentando acreditar nessas palavras com todas as forças. De que adianta, se as únicas pessoas que ainda confiam em mim sou eu mesmo e o quadro de um velho maluco


Draco não admitiria isso nem para a sua própria mãe, mas a atitude de Harry o deixou chateado. É como se ele carregasse uma espécie de estigma, uma marca ainda mais profunda que a famigerada marca negra. É como se, não importa o quanto ele tentasse fazer o que é certo, sempre fosse acontecer algo para lembrá-lo de quem ele realmente é


Ele está tão absorto em seus pensamentos que nem nota que Aletheia senta-se a seu lado. O loiro respira fundo e fica calado, ele não se sente uma companhia agradável neste momento em particular


Aletheia também fica em silêncio. Madame Pomfrey lhe contou o incidente ocorrido entre ele e o Potter. Há muito tempo ela aprendeu a não julgar, então ela não o faz, ela não julga Draco por estar chateado e muito menos julga Harry por ter chegado às conclusões erradas


Ela se pega pensando em como seria a sua vida se tudo tivesse sido diferente. Talvez estivesse casada, talvez tivesse filhos, talvez um rapaz tão cheio de angústias como o loiro que está a seu lado


Mas uma coisa que ela acabou aprendendo é que não se pode mudar o passado e não se pode ficar pensando em como as coisas teriam sido. Neste momento ela deve se focar no futuro, em ajudar nesta guerra e em dar alento aos que precisam


E ela tem certeza que Draco precisa mais do que nunca deste alento. Mesmo que ele não admita, mesmo que ele não saiba...


Acho que você não está muito a fim de conversar – ela senta-se ao lado do loiro e fala


Draco respira fundo. Realmente ele não está a fim de conversar, mas ele também não quer parecer indelicado com o único ser humano num raio de quilômetros que o trata com alguma cordialidade, então ele fica em silêncio pedindo internamente que isso funcione e ela se vá


Mas para sua decepção ela não se afasta, ao contrário, senta-se ao seu lado em silêncio. Um silêncio que o incomoda mais do que se ela tentasse consolá-lo, um silêncio que faz com que Draco tenha uma vontade incomum de se abrir, justo ele que sempre manteve as suas angústias para si


Eu não tive culpa (o loiro finalmente balbucia) só o que eu fiz foi socorrê-la, vocês podem não acreditar, mas eu não a ataquei


Eu sei disso (Aletheia fala) todos sabem. A Gina acordou


Ah... (Draco a interrompe) imagino que ela tenha esclarecido e agora todos passaram a acreditar


Draco... (Aletheia respira fundo. O garoto lembra muito Régulos e ela sabe que terá que ter muita paciência com ele. Ao menos ele também está tentando mudar. Ela pensa) Eu sei que você foi injustiçado (ela olha pra ele) e eu não concordo com isso, mas coloque-se no lugar dele, se alguém que você gosta estivesse nessas circunstâncias e o Potter estivesse lá, o que você pensaria?


Draco não a encara, se a fizesse provavelmente seu olhar a fuzilaria. A fuzilaria porque Aletheia expressou em palavras algo que ele já havia pensado, mas mesmo assim Draco não gostou do que aconteceu na enfermaria, então ele balbucia apenas – É difícil...


Aletheia quase sorri. Só não o faz porque teme que isso afaste o rapaz. Se ele ficou tão chateado com o que aconteceu isso só significa que o todo arrogante Draco Malfoy está mudando – ninguém nunca disse que seria fácil, Draco. Mas uma coisa eu posso dizer, vai valer a pena


E se não valer? – o loiro indaga, desanimado


Vai valer (Alehteia responde) vai valer, porque você vai fazer valer


XXXXX


No ministério de um país qualquer do primeiro mundo


Ele senta-se na cadeira e segura a cabeça com as mãos, numa atitude típica de quem está preocupado. Pensando melhor, preocupado não define nem de longe o estado de espírito de um dos homens mais poderosos do mundo. É uma palavra demasiado fraca. Se ele fosse um homem religioso certamente iria pensar em final dos tempos, é como se forças muito poderosas estivessem causando toda a confusão no mundo


Ele não pode deixar de pensar em uma visita que recebeu há muito tempo, precisamente logo após assumir o cargo. Uma visita que o fez duvidar da sua sanidade e mesmo com todas as provas ele às vezes ainda duvida. E algo em seu íntimo diz que esse mundo paralelo tem de alguma forma ligação com todas as catástrofes que vem acontecendo no seu mundo


Neste momento um assessor o tira do devaneio – senhor... (ele fala como se pedisse desculpas) eu preciso lhe dizer algo importante...


O que foi? (o homem fala um pouco mal humorado) eu avisei que precisava ficar sozinho!


Desculpe, senhor. É importante (o assessor fala com a mão no bolso, então ele o encara) é mais importante do que o senhor imagina


Um dos homens mais poderosos do mundo vê seu assessor tirar algo do bolso e apontar pra ele. A última palavra que ouve é... Imperio




NOTA DA AUTORA


Eis que ela chega de mansinho, acende a luz e dá um jeito em algumas teias de aranha antes de perguntar: Tem alguém por aqui?


Falando sério agora, gente. Milhares... Nâo, milhões de desculpas pela demora. Eu juro que não faço de propósito! As coisas no meu trabalho andaram terríveis e quando começou a melhorar meu pc resolveu não colaborar. É sério, acho que ele está a um passo de me deixar na mão. Estou aqui escrevendo e rezando pra ele não travar ou desligar ou pifar de uma vez (momento melodramático da autora viciada em tecnologia, sorry)


Espero que tenham gostado do capítulo, vou fazer o possível pra não enrolar tanto no próximo. Muito obrigada a todo mundo que está lendo, por favoritarem a fic, pelos comentários e principalmente pela paciência


Bjos e até o próximo! E por favor deixem uma palavrinha pra eu não pensar que vocês desistiram de mim

Compartilhe!

anúncio

Comentários (2)

  • Natascha

    ficou ótimo como sempre! se um dos homens mais poderosos estão sob o controle da Imperio as coisas vão piorar.

    2012-03-23
  • V Black

    Tudo bem, te desculpo se você prometer não abandonar a fic... Sério, sua fic é muito boa, uma das minhas favoritas nesse site... Agora estou curiosa, o que o Voldeco vai fazer? Quem é o cara que está sob Imperius? O que vai acontecer com a Gina? E com o meu Harryzito? O Malfoy? E todos? Aguardo ansiosamente o próximo capítulo enquanto tento não me jogar da torre de Astronomia igua ao Dumbly ara passar o tempo...

    2012-03-22
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.