Conversas civilizadas



Na mansão Malfoy


Hermione está um pouco tonta. Embora sempre fosse necessário, aparatar nunca foi algo que ela realmente gostasse. Além disso, ela não pode dizer que aparatar de surpresa é uma sensação boa, muito pelo contrário


Tudo bem? – ela ouve o loiro perguntar e se espanta em ver que ele parece realmente preocupado


Tudo, eu acho – ela olha pra ele contendo a custo sua fúria – você está louco! Aparatar comigo desse jeito! Sinta-se feliz por eu não haver despejado o conteúdo do meu estômago nas suas impecáveis vestes – ela olha ao redor tentando reconhecer o local, em vão – onde estamos?


Na minha casa – ele fala e espera o ataque, mas antes que ele venha, logo se explica – você não está bem, é melhor descansar em um lugar onde eu possa ficar de olho – antes que ela diga algo, ele completa – nem pense em discutir ou ficar nervosa, lembre-se do que o médico disse


Hermione respira fundo. Ela se lembra muito bem do que o médico disse, mas é difícil controlar esse tipo de coisa, não é como se as pessoas tivessem um botão em que pudessem desligar a raiva ou seus aborrecimentos. Mesmo assim ela vai tentar, então a morena pergunta usando uma calma que está longe de sentir – e eu posso saber o que você pretende me trazendo pra sua casa desse jeito? Eu tenho a minha própria casa caso você tenha se esquecido


Draco olha pra ela, na verdade ele não pensou muito nisso. A única coisa que ele pensou é que Hermione iria ficar em casa sozinha e preocupada e que isso logicamente não faria bem nem a ela nem ao bebê


No entanto o loiro não seria quem é se não tivesse traquejo suficiente pra se sair de situações como essa. Ele bate palmas duas vezes e em milésimos de segundo um elfo muito velho e feio aparece com um pof


Meu amo chamou? – ele diz fazendo uma reverência


Sim, chamei – Draco olha para a criaturinha – está é a senhorita Granger. Ela vai ser a mãe do meu filho – ele ignora propositadamente os olhares espantados tanto do elfo quanto da mulher a sua frente e continua – ela não está se sentindo muito bem. Providencie algo para que ela coma, algo que não faça mal nem a ela e nem à criança


O elfo faz outra reverência e desaparece


Hermione olha para o loiro sem acreditar. É isso que ele chama não me chatear? Não, eu não estou chateada, nem mesmo nervosa... Na verdade eu estou furiosa! Ela fala consigo mesma


Antes que ela tenha tempo de expressar a sua revolta, o elfo aparece com uma bandeja que tem quase o dobro do seu tamanho. A criaturinha olha para o loiro como se esperasse a sua aprovação – eu não sabia do que a senhora Malfoy gostava, então trouxe um pouco de tudo – o pequeno ser diz olhando amedrontado para Draco


Ótimo – ele diz sem encarar o elfo – agora pode ir


Hermione luta para não deixar seu queixo cair. Primeiro o médico se refere a Draco como pai da criança, o que embora ele seja, a deixou sem palavras e agora um pobre elfo deduz, sabe-se lá como, que ela é a senhora Malfoy. Era só o que faltava!


Vem – Draco fala e sem pensar a pega pela mão – eu vou te levar a um aposento onde você poderá descansar e comer alguma coisa


Eu tenho que trabalhar – ela consegue dizer em meio a seu estarrecimento


Mande uma coruja dizendo que não vai – o loiro responde


O que? – ela olha pra ele, incrédula – eu não posso fazer isso!


Mande ou eu mando por você – Draco diz sem se abalar – É evidente que você não está em condições de trabalhar hoje, você prometeu fazer tudo para que o bebê fique bem, esqueceu?


A morena engole em seco. Não, ela não esqueceu e ela tem que admitir que não está mesmo em condições de trabalhar, no entanto não lhe agrada perceber que desta vez seu desafeto de infância tem razão, não lhe agrada mesmo. Mas seu filho está acima de tudo, então ela apenas suspira – que seja – ela murmura – você tem uma pena?


No escritório – o loiro faz um gesto indicando o local – lá tem tudo que você vai precisar, mas coma primeiro – ele diz mostrando a bandeja


Hermione tem vontade de bancar uma criança emburrada e dizer que não vai comer. Mas ela tem que admitir que está com fome, ela não vem comendo muito bem nos últimos dias. Além dos enjôos, Hermione admite que não gosta muito de comer sozinha e é por isso que num impulso ela diz – você não vai comer?


Draco olha pra ela como se de repente houvesse surgido um nariz extra em seu rosto, no mesmo momento a morena se arrepende do que disse – esquece – ela fala parecendo indiferente – é que eu não gosto de comer quando as pessoas ficam apenas olhando, me sinto sem jeito, mas você pode voltar depois


Sem pensar muito o loiro se senta a seu lado – eu estou mesmo com fome – ele diz parecendo tão indiferente quanto ela – e depois eu acho que preciso ficar de olho pra ver se você está se alimentando direito e não faça essa cara – ele diz num tom autoritário – se você estivesse se alimentando direito não estaria amêmica


Anêmica – Hermione corrige sem pensar


Que seja – o loiro diz – seja lá como se fale você não estaria


Ora! Pare com isso – a morena vocifera – você não é meu marido...


Ela para instantaneamente dando-se conta do que disse. Hermione não consegue evitar que o rubor tinja seu rosto principalmente ao ver o sorriso irônico que o loiro lhe lança


É só você aceitar meu pedido que eu passo a ser – ele diz e observa satisfeito que ela se ruboriza mais ainda, ao mesmo tempo em que lhe lança um olhar furioso – tá, parei – ele murmura enquanto serve chá em uma xícara e passa para ela


Que diabos é isso? – ela indaga olhando o chá de aparência estranha


Algo que não vai fazer mal à criança e te fará sentir melhor – Draco responde de modo displicente – foi o que eu pedi para o elfo e pode ter certeza que foi o que ele trouxe


Ela sorve um gole, meio receosa, mas o gosto não é ruim, muito pelo contrário. Hermione espera alguns segundos para ver a reação do seu estômago que felizmente se comporta como um lorde. Hermione não contém um sorriso ao imaginar qual seria a reação do loiro na sua frente se ela simplesmente saísse correndo para o banheiro para vomitar, mas ela logo tira o pensamento da cabeça imaginando que provavelmente a criaturinha que trouxe o chá seria castigada


Ela olha o homem a sua frente. Hermione tem que admitir que não sabe mais quem ele é. Arrogante ele continua, qualquer pessoa que converse com ele por mais que cinco minutos é capaz de perceber isso, mas ao mesmo tempo dá pra sentir que ele mudou. Não apenas por causa da doença, antes disso o loiro já havia dado sinais que estava mudando, a morena sabe que Draco deu uma contribuição importante na derrota de Voldemort, se não fosse a informação da armadilha que o maldito estava preparando, informação essa dada por Draco que arriscou seu pescoço, talvez a guerra tivesse tido um resultado diferente. Muitas vezes ela se pegou pensando o que teria acontecido para que o loiro tomasse essa atitude


Alguma coisa errada? – a pergunta de Draco a tira do devaneio


Não, nada – ela diz baixando os olhos ao notar que estava encarando o loiro insistentemente


Ótimo, então coma – Draco fala como se não tivesse notado a forma como Hermione o olhava – depois que você terminar e mandar a coruja, precisamos conversar


Pouco depois, devidamente alimentada, ela rabisca uma rápida nota dizendo que não estava se sentindo bem e que o médico a havia ordenado que ficasse repousando naquele dia, ela entrega o pergaminho a Draco que chama uma coruja negra e pede para que ela entregue a mensagem no ministério


Pronto, podemos conversar – Hermione cruza os braços e encara o loiro de modo desafiador – você pediu a conversa, então fale


Draco encara a mulher na sua frente. Ela não sabe e não irá saber nunca, mas esse tipo de atitude arrogante não o assusta. Ele conviveu com isso a vida toda então mais a vontade que nunca ele diz – primeiro eu devo admitir que não entendi muito o que o médico disse. Por que essa história de pressão pode afetar o bebê?


Hermione respira fundo – na verdade eu não sei muito sobre isso, mas simplificando a pressão alta pode causar pré-eclâmpsia, que pode se transformar em eclampsia, que pode levar a mãe e o bebê a morte em casos extremos


Draco olha boquiaberto pra ela. Ele não pensou que poderia ser tão grave, seu lado racional diz que seria a solução perfeita que seu vinculo com a sabe tudo acabaria antes mesmo de começar, mas ao mesmo tempo uma outra parte do seu ser lhe diz que ele deve lutar com todas as suas forças para impedir isso


Hermione olha para o homem a sua frente que parece ter sido estuporado, ela nunca pensou que Draco pudesse ficar assim – eu disse em casos extremos, Malfoy, é muito raro isso acontecer, principalmente nos dias de hoje. Eu só terei que tomar alguns cuidados – ela vê que o loiro a fita com curiosidade – Eu terei que tomar cuidado com o sal, fazer uma dieta rigorosa por causa disso e não posso me estressar, pois isso poderia fazer a pressão se alterar. Provavelmente no final da gestação terei que ficar de repouso absoluto, mas não se preocupe, eu vou conseguir


Draco rola os olhos, ele acha mais fácil você sabe quem ter sido agraciado com a ordem de merlim do que a sabe tudo irritante e perfeccionista tomar cuidado, se isso significar diminuir seu ritmo no trabalho. Ele se lembra bem da época da escola, pelo que ele sabe as únicas vezes que Hermione Granger perdeu uma aula foram as vezes que esteve impossibilitada na ala hospitalar e ele não duvida que madame Pomfrey teve que usar um feitiço para impedi-la de sair


Hermione olha para o loiro na sua frente. Parece que ele não acreditou muito quando ela diz que vai se cuidar, ela não pode culpá-lo afinal qualquer pessoa que tenha convivido com Hermione Granger por mais de cinco minutos sabe que ela leva seu trabalho muito a sério e que é muito difícil pra ela deixar de cumprir uma obrigação. Mas quem ele pensa que é! Ela fala com seus botões e logo responde pra si mesmo. Ele é o pai desta criança e sinceramente não estou disposta a pagar pra ver se ele realmente tem algum direito sobre ela


Draco olha para a mulher que o encara pensativa. Ele não precisaria ser um homem perspicaz para imaginar o que passa pela cabeça dela, o loiro imagina que ela está se segurando para não começar uma discussão sobre o que ele tem ou não o direito de fazer. Mas ela não o faz ,não o faz porque sabe que lá no fundo ele tem razão. Hermione não é o tipo de mulher que deixa as suas obrigações de lado. Draco sabe que neste momento ela está se odiando por admitir e saber que de uma forma ou de outra vai ter que aceitar a sua sugestão pelo bem da criança que espera


Por que você se preocupa tanto? – ela finalmente pergunta – você nem sabia desta criança, você não queria esta criança, seria mais fácil você me deixar levar a minha vida e esquecer a confusão que a clínica fez... Eu não estou tentando começar uma briga – Hermione se explica entes que Draco diga algo – eu só queria entender


Realmente não há recriminação em sua voz, é como se pela primeira vez ela estivesse tentando aceitar o fato. O loiro suspira – eu sei que é complicado pra você e, acredite, foi complicado pra mim também. Quando eu recebi a notícia foi como se o chão abrisse sob meus pés. Eu imaginei que o destino estivesse me pregando uma peça, que fosse uma espécie de castigo pela minha arrogância, pelo meu desprezo aos trouxas no passado. Eu imaginei que a mãe da criança fosse uma trouxa, é claro. Quando eu dei por mim eu já havia falado que queria conhecer a mulher. Depois eu pensei melhor e vi que queria conhecer este filho concebido de maneira tão inusitada, eu senti que era como se a vida estivesse me dando uma nova chance, eu vi nesta criança um recomeço – ele olha pra ela – e você, o que deu na cabeça da queridinha do ministério para ter um filho desta forma?


Hermione respira fundo. Ela poderia muito bem dizer que isso não é da sua conta, mas no fundo ela sabe que não pode, não quando Draco desnudou a sua alma pra ela


Se eu ganhasse um nuque cada vez que eu ouço isso, não precisaria trabalhar – ela fala com um suspiro – eu sei que você e quase todo mundo vê Hermione Granger como uma mulher realizada a quem não falta nada, mas falta! – ela diz um pouco mais enfática que gostaria – eu queria ter uma família como todo mundo! O tempo estava passando e eu via todos os meus amigos se casarem, terem filhos, e eu estava exatamente da mesma forma. Então eu comecei a pensar, se eu não podia ter uma família tradicional eu teria ao menos um filho. O mundo trouxa tinha condições de me proporcionar isso, eu nunca poderia imaginar que a clínica iria fazer uma confusão dessas


Estagiários sempre são estagiários, independente do mundo em que vivem – Draco fala de modo sarcástico – e aqui estamos nós


É... – Hermione concorda pensativa – aqui estamos nós – ela se levanta – acho que vou pra casa...


Draco pensa em questionar, dizer que ela ainda não está bem, mas ele sabe que hora deve começar uma briga e definitivamente agora não é uma delas.


Tudo bem – ele concorda – mas eu vou te levar em casa...


Hermione apenas suspira e não fala nada. Ela não quer brigar e, quer saber? No fundo, lá no fundinho ate que ela gosta de saber que não e a única pessoa que se preocupa com o bem estar desta criança




Nota da autora


Finalmente o capítulo! Será que ouço sinos badalarem e coros de aleluia? Eu sei que demorei, como aliás estou demorando sempre, desculpem por isso, mas infelizmente não vejo como ser diferente por enquanto, pelo menos até eu conseguir terminar uma ou duas das fics que estou postando, obrigada pela compreensão


Obrigada a todos que estão lendo e se alguém for estagiário me desculpem pelo que falei sobre eles logo acima, não sou eu quem penso isso, é o Draco... (corre pras colinas)


Bjos e até o próximo

Compartilhe!

anúncio

Comentários (5)

  • Diênifer Santos Granger

    Continuação Plis!!!

    2014-04-08
  • RiemiSam

    E quem não erra? Graças a alguns erros que cometemos a vida tem graça. Desde que os mesmos não ponham em risco a saúde e a integridade de outras pessoas é lógico! Comecei a ler sua Fic e achei muitíssimo boa.

    2014-03-18
  • Hellen Luisa

    Parabens! Estou adorando a sua história (:Espero que você não demore para postar maisBjs! 

    2014-03-09
  • Talita .o

    E ja tinha um tempinho que vc não postava mesmo Bom o que importa e que vc não desistui dela ^^, e nem deve, poe que e uma historia maravilhosa!! So espero que dessa vez não demore tanto assim...bjuss

    2014-02-25
  • Ariane

    Tô amando essa história! E esse Draco ora sarcástico e irônico, ora carinhoso (mesmo não querendo ser) é demais! Amando mesmo! Parabéns! Beijos;

    2014-02-25
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.