Planejando



No hospital St Mungus



Gina olha para a amiga com um sorriso no rosto, basta apenas um segundo para que a mente perspicaz de Hermione note – o que foi? – ela pergunta cismada – você está com uma fisionomia que me lembra muito um gato que acabou de comer um canário.



- Não é nada – Gina tenta desconversar – você precisa descansar e evitar qualquer coisa que faça a sua pressão subir, por falar nisso... – a ruiva pega a varinha e faz um monitoramento rápido nos sinais de Hermione e do bebê – tudo certo – ela murmura – pressão normal, bebê feliz.



- Gina – Hermione diz usando seu melhor tom de monitora – eu te conheço. Você está se segurando pra não falar e a sua cara não é de quem está preocupada com a minha pressão.



A ruiva suspira – é que eu notei uma coisa – ela vê que Hermione a encara com curiosidade – não é uma coisa ruim, mas vai que você fica chateada...



- Ficar curiosa também me deixa chateada, desembucha! – Hermione diz usando seu melhor tom de monitora chefe.



- Tudo bem – Gina diz com um suspiro e sorri – bem, é sobre o Malfoy. Ele parece, como posso dizer, um marido... E um marido bem apaixonado por sinal.



A boca de Hermione se abre e fecha, em todas as suas hipóteses, ela nunca imaginou que sua amiga diria isso.



- Que besteira, Gina – ela consegue dizer – ele está preocupado com o bebê, como era de se esperar, apenas isso.



- Mione, Mione... – a ruiva fala pausadamente – você consegue ser bem obtusa com o que não está nos livros. Desculpe, mas é verdade, você não viu o jeito que ele estava quando vocês chegaram aqui. Ele se preocupou com o bebê, é verdade, mas ele estava super preocupado com você. Quase desesperado, eu diria.



Hermione luta contra a vontade de rolar os olhos. Sua amiga deve estar delirando, só pode ser!



Mas Gina não se deixa vencer tão facilmente – e a interação de vocês? – a ruiva sorri – eu juro que se eu não soubesse da história toda, eu diria que vocês eram um casal recém casado a espera do primeiro filho, um casal apaixonado, diga-se de passagem. Mione... – a amiga insiste – olhe nos meus olhos e diga que você não está apaixonada por ele.



Hermione olha para a amiga. Ela nunca foi muito boa com mentiras, isso faz parte da sua natureza, mas ao mesmo tempo confessar algo que ela nunca falou em voz alta, nem mesmo sozinha em casa...



- Eu não sei, Gina. Eu gosto dele, gosto mesmo. O Draco é um homem maravilhoso – ela vê a amiga encará-la com incredulidade – eu sei que não parece, mas quando a gente conhece, ele é gentil, generoso, preocupado e me trata como uma rainha – ela baixa os olhos ainda sem acreditar que vai dizer isso – e me deixa muito excitada...



Gina olha para a amiga e segura o sorriso, ela sabe que deve ir com calma, mas a seu ver o que ela tem aqui é um casal que se encontra a espera do seu primeiro filho e que estão totalmente e irremediavelmente apaixonados um pelo outro.



Mas antes que ela possa falar qualquer coisa, Gina é informada que dúzias de repórteres estão tentando invadir o hospital...



XXXXX



Quase ao mesmo tempo



Rony olha para as paredes do quarto que ocupa na casa da sua irmã. Ele deveria estar aliviado, mas diabos, por que ele se sente como se estivesse deixando pra trás uma parte importante da sua vida?



Ele sabe que fez o que deveria fazer, Rony sabe que mesmo que perdoasse Pandora ele nunca mais se sentiria confortável a seu lado, ele sempre iria se perguntar se os seus sentimentos eram verdadeiros ou se de alguma forma ele não estava sob o efeito de algum tipo de poção. Mas, droga, porque dói tanto! Ele não pode deixar de pensar



Agora ele precisa seguir com a sua vida e isso significa informar a seus pais que o seu casamento acabou, arrumar um lugar seu para ficar e tentar lidar com a imensa sensação de vazio que ele está sentindo agora.



Você fez o que era certo. Ele repete para si mesmo enquanto tenta apagar da sua mente os olhos tristes da esposa. Vai ser difícil, mas você vai superar.



Ele vê o cunhado chegar em casa. Apesar dos seus problemas Rony nota que o semblante de Harry está preocupado – o que aconteceu? – ele indaga.



- Recebi uma mensagem da Gina – Harry diz com um suspiro – a Mione está internada.



- Alguma coisa com o bebê? – Rony pergunta preocupado – o que aquela doninha fez?



- Ela disse que foi algo referente à pressão – Harry explica – não entendi direito, mas até onde eu sei o Malfoy não teve nada a ver com a história. Eu estou indo lá ver se está tudo bem, você quer ir comigo?



Rony assente com a cabeça. Quem sabe com algo que o distraia, ele tire o foco dos olhos tristes da sua esposa – sim – ele diz para o amigo – eu vou com você, não quero perder a oportunidade de azarar o Malfoy se ele tiver saído da linha.



XXXXX



Na mansão Malfoy



Draco olha para o grupo que se aglomera nos portões da sua casa, por sorte as suas proteções são bem eficientes ou o loiro não duvida que alguns mais afoitos teriam entrado pelo jardim. A sua vontade é pegar a sua varinha e azará-los, mas ele sabe que não pode, ao menos não por enquanto, a sua prioridade agora deve ser o bem estar de Hermione e do seu filho.



Ele chama alguns elfos e ordena que eles não deixem ninguém entrar sob nenhuma circunstância e aparata para o hospital.



XXXXX



No hospital St Mungus para acidentes mágicos



Hermione está sozinha. Gina disse que precisava resolver um problema e a deixou por alguns instantes, Draco ainda não chegou o que a deixa apenas com seus pensamentos. Ela sabe que não pode se estressar, mas infelizmente isso não é como se fosse um botão que liga e desliga, e neste momento a sua mente trabalha furiosamente com uma determinação ferrenha de descobrir como a famigerada repórter teve acesso a tudo o que aconteceu entre ela e Draco.



Ela fica pensando nas pessoas que sabem da verdadeira história e Hermione tem certeza que nenhum dos seus amigos fariam uma coisa como esta. Por mais que não gostem do loiro, ela sabe que nem Harry e nem Rony seriam capazes de algo assim e ela também sabe que Draco não deve ter contado para ninguém. Isso é algo muito íntimo e com certeza o loiro ficaria desconcertado em compartilhar essa história.



Então ela só pode ter ouvido de um de nós, mas como? Hermione pensa. Nós não falamos sobre isso a não ser quando estamos sozinhos. Então ela para e respira fundo para que a sua raiva não faça a sua pressão subir. Aquela mulher odiosa fez novamente!



XXXXX



Enquanto isso



Gina olha para os repórteres que lhe crivam com as mais diversas perguntas, ela não está entendendo direito, mas tudo leva a crer que de alguma forma eles descobriram que há algo mais sobre a concepção do herdeiro Malfoy. A ruiva sabe que se algum deles conseguir chegar até Hermione com certeza a sua amiga irá se alterar, e isso não pode acontecer nem em sonhos.



Então ela pega a sua varinha e usa o tom que a sua mãe inventou e ela aperfeiçoou – escutem todos vocês! Isso aqui é um hospital, um lugar aonde as pessoas vêm para receber tratamento e não para serem importunadas, então vocês vão dar meia volta e sair por esta porta, aquele que der um passo ou que for encontrado em qualquer dependência do hospital será azarado de forma tão feia que vocês vão ser hóspedes aqui por muito tempo, além de enfrentarem as consequências legais dos seus atos.



- Mas senhora Potter – um deles se arrisca mesmo recebendo um olhar furioso da medibruxa – nós recebemos notícias que a senhorita Granger se encontra aqui, ela precisa dar uma declaração.



- Primeiro – Gina diz pausadamente – que parte de as pessoas vem aqui para receber tratamento vocês não entenderam? Se ela está aqui é porque algo não está bem, percebem? Segundo, ela não precisa fazer nada que não queira, então caiam fora antes que eu chame a segurança.



Neste momento, seu marido e seu irmão entram, eles não precisam de muito tempo para perceber que Gina está com problemas. Então Harry e Rony empunham as varinhas – vocês ouviram a medibruxa – Harry diz – importunar pacientes não é permitido aqui, então queiram ter a bondade de se retirar ou vou levar a todos para prestarem esclarecimentos.



Os repórteres se entreolham e começam a sair um a um.



- Obrigada – Gina diz enquanto emite um suspiro de alívio – estava ficando difícil contê-los sem apelar pra uma azaração.



- Isso seria ótimo, ruiva – Harry sorri – mas completamente inadequado, eu creio – ele olha para a esposa agora de modo sério – o que aconteceu aqui?



- Eu não sei direito – Gina diz – o Malfoy trouxe a Hermione que estava com a pressão em um nível preocupante ele disse que ela falou algo a respeito de uma reportagem, mas como ela precisava de cuidados, eu não prestei muita atenção e não perguntei pra ela o que houve, já que eu não posso arriscar que a pressão dela suba – ela suspira – o Malfoy também não sabia direito. Ele foi buscar algumas coisas pra ela, espero que ele descubra o que aconteceu, não podemos nos arriscar a deixar que Hermione se envolva, se a pressão dela subir desta forma novamente eu não terei outra opção a não ser realizar o parto e seria um parto muito arriscado.



- Eu acho que sei o que aconteceu – Rony diz pegando um jornal que estava jogado na recepção – vejam isso.



Harry e Gina pegam o jornal e veem, estarrecidos, a reportagem principal da coluna da Rita Skeeter revelando o grande segredo do bebê de Hermione Granger e Draco Malfoy. O casal se entreolha e Harry começa a ler em voz alta:



- Caros leitores, se algum de vocês se encontra em pé eu peço que se sentem. Esta repórter que vos escreve está prestes a divulgar a notícia mais bombástica sobre o futuro herdeiro Malfoy! Eu fiquei sabendo por fontes confiáveis que esta criança que deverá nascer nos próximos dias não foi, como direi, concebida pelos nossos métodos normais.



Harry para e olha para a esposa e o cunhado. Gina luta para manter a boca fechada enquanto Rony começa a adquirir uma coloração avermelhada que Harry sabe que não é nada bom em se tratando de um Weasley.



- Continue – Rony fala tentando manter uma calma que definitivamente ele não sente, Harry olha para Gina que assente com a cabeça e continua:



- Talvez vocês estejam se perguntando. Como assim, não foi concebida em circunstâncias normais? Eu confesso que também fiquei me perguntando sobre isso e pesquisei até descobrir que no mundo trouxa existe algo chamado inseminação artificial, que permite que uma mulher engravide sem, digamos, passar pela parte prazerosa do processo. Resta agora saber por que o casal escolheu esta maneira para produzir o seu herdeiro? A sorte está lançada, caros leitores, e mais uma vez este jornal irá premiar aqueles que conseguirem desvendar o mistério.



Harry para de ler e amassa o jornal num gesto furioso. Ele olha para a irmã e o cunhado que também parecem tão furiosos quanto ele. A fúria dos três, no entanto, não chega aos pés da fúria de um loiro que estava ouvindo a leitura sem que eles soubessem...



XXXXX



De volta ao quarto



Hermione olha pela janela. É a única coisa que ela pode fazer no momento já que Gina terminantemente proibiu que ela se levantasse e Draco ainda não chegou para lhe fazer companhia. Ela ouve um burburinho do lado de fora e apenas o bem estar do seu bebê a impede que ela sucumba à curiosidade e vá ver o que aconteceu.



Ela se pega pensando na reportagem e se recrimina por ter sido tão descuidada. Hermione sempre soube o que a repórter asquerosa era, ela deveria ter pensado nesta possibilidade, principalmente depois que Draco deu um basta no concurso.



A sua mente trabalha furiosamente. Essa mulher precisa ser parada de qualquer jeito. Hermione está um pouco frustrada por não poder fazer nada agora, seu filho vem primeiro, mas ela neste momento faz uma promessa. Depois que o seu filho nascer, Hermione não descansará enquanto não fizer esta mulher pagar por tudo que fez...



XXXXX



Na recepção



Draco respira fundo para manter a calma. Ele precisa fazer isso porque em poucos minutos ele irá se encontrar com Hermione e ela perceberia que algo aconteceu. Ele olha para os amigos da mãe do seu filho e o semblante deles diz que eles têm sentimentos parecidos.



- Como isso foi acontecer, Malfoy? – Rony pergunta de modo acusatório.



É claro que iria sobrar pra ele. O loiro pensa enquanto diz – Você acha que se eu soubesse, eu não teria impedido, Weasley? – Draco rebate no mesmo tom – você acha realmente que eu deixaria uma história como essa vazar tão perto do meu filho nascer? Eu não sei como isso aconteceu – ele diz com um suspiro – mas podem ter certeza que isso não vai ficar assim, eu mesmo vou azarar aquela mulher nojenta!



- Pode contar comigo pra isso, doninha – Rony fala. Já que ele não pode azarar o Malfoy, fazer alguma coisa com a Skeeter também está sua lista.



- Muito bem – Gina diz assumindo um tom profissional – já sabemos que ela fez isso de propósito pra atingir você e Hermione e sabemos também que precisamos tomar uma atitude, mas a prioridade agora é o bem estar de Hermione e do bebê. Ela pode entrar em trabalho de parto a qualquer momento e se a pressão dela estiver alterada, isso pode ser até mesmo fatal. Malfoy – ela olha para o loiro – vá entregar as coisas dela e veja como ela está, diga que em breve eu vou até lá. Se tudo estiver bem arrume uma desculpa e volte assim que puder



Draco nem tenta argumentar, ele apenas balança a cabeça em assentimento Gina continua:



- Vocês dois – ela olha para o marido e o irmão – eu sei que vocês querem ver a Mione, mas seria só ela olhar pra cara de vocês pra ela notar que alguma coisa aconteceu e eu não posso me arriscar a deixá-la nervosa.



Eles assentem com a cabeça, por mais que queiram verificar com os próprios olhos como Hermione está, Harry e Rony sabem que Hermione os conhece bem demais, bastaria um olhar para que ela notasse que alguma coisa aconteceu e se isso pode fazer a pressão dela se alterar, eles acatarão a ordem de Gina.



- Enquanto isso a gente vai pensar – a ruiva diz com convicção.



- Pensar em que? – Rony pergunta



- Ora, Ronald – ela diz com um tom muito parecido com o de Hermione – é óbvio! A gente vai pensar numa forma de deter a Skeeter, ou pelo menos amenizar o estrago. Já que a Hermione não pode se envolver, a gente precisa fazer alguma coisa pra ajudar.



O ruivo assente com a cabeça. Por mais chateado que ele esteja, a sua amiga Hermione precisa dele, então ele vai focar em ajudá-la e quem sabe tirar um pouco a sua esposa da cabeça e do coração.



XXXXX



No quarto de Hermione



Draco entra com a respiração suspensa enquanto diz para si mesmo que se algo tivesse acontecido a ruiva teria sido chamada. Ele não contém um suspiro de alívio quando vê Hermione deitada com uma expressão claramente entediada na face – nem preciso perguntar se está tudo bem – ele sorri – você está com uma cara que se pudesse sairia deste quarto agora mesmo



- É verdade – Hermione admite – se eu não fosse colocar o bebê em risco, eu estaria naquele jornal maldito azarando aquela repórter infeliz!



- Hermione – o loiro tenta acalmá-la, se a pressão dela subir Gina vai azará-lo sem sombra de dúvida – você não pode se exaltar, a sua pressão...



- Se você falar qualquer coisa sobre a minha pressão, eu vou te azarar aqui e agora! – Hermione diz, ela respira fundo – eu estou bem, juro. Só estou um pouco furiosa, mas eu vou me controlar. O que vai fazer a minha pressão subir com certeza é não fazer nada – ela faz um sinal para que Draco se sente a seu lado – lembra que eu te contei que ela era um animago não registrado e eu descobri? – o loiro assente com a cabeça – ela nunca me perdoou por isso e eu acho que ela deve ter seguido a gente na sua forma animaga e ouviu sobre a inseminação, só pode ser isso.



- Faz sentido, mas não imagino como isso foi acontecer – o loiro diz – minha casa é protegida. Não há nada referente a animagos, mas até onde eu sei as proteções detectam esse tipo de coisa



- Não se o animago estiver com alguém que tem autorização pra entrar – a morena diz depois de pensar um pouco – não deveria ser difícil um inseto se esconder na minha bolsa ou mesmo nas suas roupas. Eu não acredito que não pensei nesta possibilidade! E não se atreva a falar da minha pressão!



- Eu não falo se você prometer que vai ficar calma – Draco diz – então sabemos como ela descobriu, agora a gente tem que arrumar um jeito de parar tudo e garantir que nos deixem em paz. Eu preciso sair por um momento, a Weasley disse que virá em breve. Você vai ficar bem?



Hermione assente com a cabeça, meio decepcionada por Draco deixá-la justo agora, mas ela o conhece bem para saber que se ele está saindo é por que é necessário.



- Eu prometo que não demoro – ele diz dando um beijo rápido em seus lábios



XXXXX



De volta à recepção



Draco volta e vê que a medibruxa se encontra com os dois aurores – vocês não sabem o que a Hermione descobriu – ele logo solta



- Que parte do não era pra deixar a Mione se estressar com essa história você não entendeu, Malfoy? – Gina diz usando o seu melhor olhar Molly Weasley



- Tente você parar aquela força da natureza – Draco se defende – eu mal entrei e ela já foi despejando o que descobriu e ameaçando me azarar se eu falasse mais uma vez na sua pressão. Vocês conhecem a sua amiga.



- Tudo bem, Malfoy – Harry diz de modo compreensivo – essa é a Hermione mesmo. O que ela disse?



O loiro então resume rapidamente o que Hermione lhe contou e vê os semblantes dos três se fecharem de raiva.



Aquela mulher horrorosa! – Gina vocifera enquanto a sua face atinge uma coloração avermelhada – eu vou atrás dela agora, vou transformá-la em um inseto! Não! Ela já é um inseto, então eu vou só esmagá-la



- Calma, ruiva – Harry diz – a gente vai dar um jeito nisso



- E eu tenho uma ideia – uma voz se faz ouvir e eles veem Hermione em uma cadeira de rodas empurrada por um estagiário – eu imaginei que você estivesse pensando em algo pra deter aquela mulher e não podia ficar de fora – ela olha pra Gina que está estupidificada demais pra brigar – não se preocupe, eu chamei o estagiário e me certifiquei que estava tudo bem antes de vir. Agora se vocês puderem ter a gentileza de me acompanhar de volta ao quarto eu digo pra vocês o que eu estou pensando...



De volta ao quarto com Hermione novamente na cama ignorando solenemente os olhares recriminatórios da medibruxa, ela diz – eu sei que não deveria ter saído, Gina. Mas eu juro que tomei todos os cuidados e não dei um passo sequer, mas quando eu vi que o Draco - ela olha acusatoriamente para o loiro – que disse que não iria sair do meu lado a não ser que fosse estritamente necessário, dar uma desculpa e me deixar sozinha, eu achei que algo estivesse acontecendo e como é algo que certamente me atinge, eu resolvi ver o que era.



- Você não deveria – Gina faz uma tentativa frustrada.



- Eu estou bem e verifiquei a minha pressão antes, eu não sou irresponsável, mas eu fiquei aqui sozinha e fiquei pensando que essa mulher não vai parar a não ser que a gente faça algo – ela para subitamente e sussurra – antes vejam se há algo no quarto e fechem a porta e a janela



Eles vasculham cada centímetro do quarto, verificam armários, lençóis, cortinas, não deixam passar nenhum detalhe. Depois Draco murmura um abafiato – pronto – ele diz e olha para Hermione – tem certeza que você está bem? – ele pergunta mesmo se ariscando a levar uma azaração – ta, parei – ele completa rapidamente – o que você está pensando?



Então Hermione respira fundo enquanto acaricia o ventre e conta aos amigos e ao pai do seu filho a sua ideia, mostrando mais uma vez porque ela entre todas as bruxas da sua idade era a mais inteligente...





NOTA DA AUTORA



Passando rapidinho por aqui morrendo de medo de levar uma azaração por ter parado justamente agora. Espero que tenham gostado e quem puder deixar uma palavrinha vai me fazer muito feliz. Este capítulo já está no ff.net há alguns dias, eu não postei aqui por problemas neste site. Agora os dois estão iguais, mas confesso que ando meio desanimada em postar aqui, estou com problemas na conta há meses e não consigo resolver. Mas não se preocupem, mesmo com todos os problemas vou terminar a fic



Bjs e até o próximo


Compartilhe!

anúncio

Comentários (0)

Não há comentários. Seja o primeiro!
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.