cap final postado 24/01



Epílogo



Draco olha para o bebê adormecido no berço e em seguida para a mãe exausta do parto. Ele também não pode negar que está exausto mesmo que a parte dura da coisa tenha ficado com Hermione como ela fez questão de lembrar uma ou duas vezes, ou dez ou vinte, mas quem esteve contando?



O loiro não pode deixar de sorrir toda vez que ele pensa na loucura que a sua vida se tornou. Uma doença que poderia ter o levado a morte lhe trouxe vida de uma forma que ele nunca poderia imaginar e ele que muitas vezes amaldiçoou seu destino se vê agora sendo grato a tudo que ele lhe proporcionou.



Ele olha para Hermione adormecida e sente seu peito inflar de amor, Draco segura a vontade de acariciá-la enquanto pensa que em breve estarão em casa.



- Você está me observando – ele ouve Hermione dizer ainda com os olhos fechados.



- Como você faz isso? – ele pergunta intrigado. Hermione sempre sabe quando ele a está observando.



- Eu sinto – ela diz sorrindo – você devia ter ficado em casa, os elfos fazem tudo que o Rafael quer.



- Eu ia, eu juro – Draco sorri meio constrangido – mas a Weasley fêmea disse que a Laila estava com o Rony e você sabe – ele para de falar quando vê o sorriso da esposa, ela sabe que seu filho e a filha do Rony se adoram e como prontamente Gina ofereceu o irmão para tomar conta do seu primogênito o que ele aceitou de bom grado.



- Você está aqui querendo me dizer que sem a minha insistência, você deixou o Rafael dormir na casa do Rony? – ela diz com um sorriso na face.



- Ora, não faça essa cara! – o loiro diz amuado – a menina é boazinha mesmo sendo filha de quem é. E depois eu queria mesmo ficar com você hoje e o Junior queria ficar com a amiguinha, então todo mundo ficou feliz – ele olha para o berço onde o pacotinho dorme o sono dos justos depois olha novamente para a esposa – você está bem?



- Estou muito bem – Hermione sorri e olha pra o berço – incrível como um serzinho como esse faz a gente esquecer instantaneamente de tudo o que acontece no parto.



- Na verdade eu ainda me lembro de uma coisa ou duas – ele diz sorrindo. Hermione costuma ficar, digamos, bem temperamental neste momento – mas eu entendo o que você quer dizer – ele chega mais perto do berço e toca o rostinho da filha – ela é perfeita de uma forma que eu só vi uma vez na minha vida – ele completa lembrando-se da sensação parecida quando seu primogênito nasceu.



- Ela é linda – Hermione concorda sorrindo. Ela nunca poderia imaginar que a confusão que a clínica fez poderia lhe trazer não apenas um pai para o seu filho, mas também lhe trazer uma família, uma nova profissão e uma forma de ajudar muita gente.



- O que são todos estes cartões? – Draco pergunta ao ver uma mesa repleta de cartões felicitando mamãe e bebê, eles receberam algo parecido quando seu primogênito nasceu, mas agora as circunstâncias são diferentes – não sabia que você conhecia tanta gente assim.



- A maioria eu realmente não conheço – ela sorri – são os casais que eu ajudei com os tramites trouxas para a realização da inseminação artificial, você vai ver que em vários tem fotos de crianças, eles estão nos felicitando e agradecendo pela ajuda.



Depois que a reportagem sobre a concepção do seu primogênito foi a público, Hermione recebeu diversos pedidos de casais pedindo ajuda para também terem seus filhos e Hermione, solidária, procurava ajudar a todos até que o ministério lhe ofereceu uma posição como uma espécie de ponte entre o mundo trouxa e o mundo bruxo para casos em que os bruxos precisassem de algum tipo de tratamento trouxa, como aconteceu com ela e até mesmo com Draco. Ela tem consciência que se ele não tivesse encontrado um medibruxo aberto a tratamentos trouxas seu marido não teria sobrevivido, ela não teria dois filhos lindos e um casamento que nem em seus sonhos mais íntimos ela poderia imaginar.



Um balbucio no berço ao lado a tira do seu devaneio, sua pequena quer comer. Draco a tira do berço antes que a menina demonstre o belo par de pulmões que tem – você melhorou muito – ela fala sorrindo ao se lembrar do medo que o loiro tinha de segurar seu próprio filho



- Digamos que a prática leva a perfeição – Draco fala de maneira saudosista, enquanto a sua mente volta alguns anos naquele mesmo hospital...



XXXXX



Hospital St Mungus, alguns anos atrás



Draco observa seu filho dormindo o sono dos justos assim como a mãe dele que está notadamente cansada, o loiro não pode negar que também está exausto tanto física quanto emocionalmente, mas ele está animado demais pra dormir e pra falar a verdade ele também tem um pouco de medo de que caso caia no sono ele vá acordar e perceber que toda essa história louca não passou de um sonho.



Ele olha o menino que dorme no berço, apesar do pouco cabelo dá pra ver que ele será loiro como o pai. Como ele disse antes, o seu filho se parece com ele e isso é mais do que Draco poderia querer em sua vida.



Neste momento o pequeno emite um resmungo, Draco olha para o garoto com a respiração suspensa, ele não sabe o que fazer.



- Acho que ele está com fome – o loiro ouve a voz da sua noiva.



-Eu vou chamar a enfermeira – Draco diz e se prepara para sair.



- Não precisa – Hermione diz – é só você pegar o bebê e trazer pra mim... O que foi? – ela diz ao ver o semblante do loiro que parece o de uma pessoa azarada.



- É que eu não sei se eu posso – Draco diz enquanto seu olhar dança entre a criança e Hermione – talvez seja melhor eu chamar alguém.



- Draco Malfoy! – Hermione usa seu tom de monitora chefe com ele – você vai pegar seu filho e trazer pra mim agora! Você não quer fazer parte disso? Se você for procurar uma enfermeira e essa criança começar a chorar de verdade, você não vai querer estar na sua pele!



O loiro olha meio envergonhado para Hermione – eu quero fazer parte disso, é claro... Eu... Eu só não sei como fazer isso – ele diz meio sem jeito – e se eu o machucar?



- Draco – Hermione sorri – você não vai machucar o seu filho, você nunca seria capaz. É só ir com cuidado, vamos lá, traga esse bebê aqui, por favor.



Então ele pega seu menino com a respiração suspensa, o coração acelerado e um sorriso bobo na face – ei pequenino – ele diz – eu sou seu papai, seu nome é Rafael e não ligue se de vez em quando eu chamar você de Junior, isso é uma brincadeira entre mim e sua mamãe – ele olha para Hermione e vê uma lágrima caindo em sua face – há um ano eu não poderia imaginar que você viria e foi o maior susto pra mim, mas eu te digo filho, eu nunca podia imaginar que você me faria tão feliz – ele vê o menino fazer uma careta e emitir um gemido mais profundo – já sei, você não quer conversar com o seu velho pai, não enquanto você só pensa no seu jantar...



XXXXX



De volta ao momento atual



Draco sai do seu devaneio quando o bebê em seu colo reclama, ele sorri enquanto diz:



- Calminha princesa, eu já levo você para a sua mamãe, você não quer mesmo ver seu pai divagando enquanto está com fome, não é mesmo?



- E a mamãe dela não quer ficar com os seios cheios enquanto o papai fica olhando pra ela e divagando, não é mesmo? – Hermione se faz ouvir – por um momento parecia que você estava longe – ela diz curiosa para o marido



- Por um momento eu estava – ele sorri – eu estava lembrando o medo que eu tive de segurar o Rafael pela primeira vez



- Eu lembro – ela também sorri – você tinha medo de quebrá-lo, ou algo parecido – ela observa o loiro levar a menina e entregá-la com toda desenvoltura – devo dizer que você melhorou bastante daquele dia pra cá.



- A prática leva à perfeição – Draco filosofa lembrando-se que depois que se acostumou, ele fazia de tudo para ficar com seu bebê no colo chegando às vezes a tirá-lo do berço enquanto dormia



- E você praticou bastante – Hermione diz sorrindo ao se lembrar das vezes que ela precisou chamar a atenção do loiro por tirar o bebê do berço o tempo todo. Foi um período de adaptação meio complicado, com um bebê, uma mudança para a mansão Malfoy e a preparação de um casamento, mas eles conseguiram passar por tudo como ela gosta de recordar...



XXXXX



De volta há algum tempo atrás



Draco e Hermione finalmente estão em casa. Eles demoraram mais do que esperavam, pois antes deram uma declaração à imprensa e receberam algumas felicitações e pedidos de ajuda de casais que gostariam de ter seus bebês pelo método trouxa ao que Hermione prontamente se ofereceu pra ajudar, não poderia ser diferente já que ela sabe perfeitamente o que é o desejo de ter um filho.



Sim, ela vai ajudar, mas neste momento o que ela mais quer é entrar em casa e curtir um pouco o seu filho tão desejado.



Casa... Ela suspira pensando se vai realmente se sentir a vontade na imponente mansão Malfoy. Por mais que Draco faça tudo para deixá-la confortável, ela ainda tem um pouco de receio de morar em um local tão suntuoso. É como se ela nunca fosse se sentir realmente em casa neste lugar.



- Você está cansada? – a voz do seu futuro marido a tira do devaneio – com fome? Eu posso ver o que os elfos prepararam e eles podem cuidar do Rafael pra você descansar um pouco – ele sugere preocupado.



- Não precisa, obrigada – Hermione diz. Ela sabe que será bom tem alguém que ajude, mas pra ela não vai ser trabalho algum tomar conta do seu tão sonhado bebê, pelo menos por enquanto, ela tem consciência de que vai chegar um momento em que ela vai precisar de ajuda – eu não estou cansada, não tanto pelo menos. Quanto à fome, eu admito que sim, poderia comer – ela rola os olhos – eu sei que você provavelmente pediu para que os elfos preparassem tudo que eu gosto.



- Eu já te falei que eu não faço isso – o loiro sorri – na verdade eu ainda nem sei direito tudo o que você gosta, pelo menos não na parte da comida – ele completa e sorri ao ver Hermione se ruborizar e bater de leve em seu braço



- Então como eles sabem? – Hermione pergunta, ela sempre foi curiosa a respeito disso



- Eles sempre sabem – Draco diz – faz parte da magia deles saber tudo sobre a família – o loiro segura seu rosto com as mãos e beija suavemente seus lábios – e você é da família, eles sabiam desde o primeiro dia, talvez antes mesmo que eu. É por isso que eu digo que essa casa é sua e o meu coração também.



Hermione sorri enquanto olha para as imponentes paredes e pela primeira vez, ela as vê como realmente são, apenas paredes. Ela agora sabe disso, ela sabe que junto com Draco e seu filho farão destas paredes um verdadeiro lar...



XXXXX



Momento atual



- Agora quem está longe é você – Draco diz ao ver que falou duas vezes com a esposa e não obteve respostas. O loiro já está meio acostumado com isso quando Hermione está lendo, mas definitivamente não quando ela está amamentando.



- Sim – Hermione não nega – eu estava lembrando quando eu saí do hospital com o Rafael e me mudei definitivamente para a sua casa. A história dos elfos sabe, deles sempre fazerem tudo que eu gosto.



- Eles servem à família – Draco sorri. Ele vê que Hermione terminou de alimentar a filha e a pega para arrotar – e a esta altura devem estar ansiosos para ver a nossa pequena aqui, a jovem senhora Malfoy eu já os ouvi chamando.



- Por falar nisso, eu sei que ele está bem cuidado – Hermione interrompe – mas você bem que podia ver se o Rafael está bem, um pulinho na lareira só.



- Ele já dormiu na casa do ruivo antes – Draco diz com um muxoxo enquanto coloca a pequena no berço – não que eu tenha gostado



- Eu sei que ele já está acostumado – Hermione diz pensativa – mas ele sempre sabe que poderá ir pra casa no momento em que desejar e como desta vez a gente não vai estar em casa, ele pode ficar apreensivo



- Ele vai ficar bem, Hermione – Draco diz contendo um sorriso – acho que o parto despertou a mamãe urso – ele brinca – você sabe que quando o Rafael está com a Laila, ele mal se lembra que tem pais.



- Por favor – Hermione diz utilizando um tom que ela sabe que seu marido não resiste – eu estou com um pressentimento. Só pra me tranquilizar, o que custa? O Rony não vai achar que você quer ser amigo dele se você aparecer na lareira pra saber como o nosso filho está.



O loiro respira fundo. Ele sabe que não vai ganhar essa briga e verdade seja dita pra ele não é sacrifício algum conversar com seu pequeno por uns instantes e saber se está tudo bem, mesmo sabendo que seu filho irá olhar pra ele com a arrogância típica dos Malfoy e dizer, ora papai eu estou bem estou brincando com a minha amiga, você estava com saudades de mim?



- Tudo bem – ele diz com um suspiro, tentando ignorar o sorriso da esposa que certamente sabia que ele faria o que ela quer – você fica bem sozinha por um minuto?



Antes que Hermione possa responder, a porta se abre e o casal vê, atônito, Gina chegar com Rafael no colo – aconteceu alguma coisa? – Draco e Hermione falam quase ao mesmo tempo



- Está tudo bem – a ruiva diz antes que a sua amiga tenha uma sincope de preocupação – eu apareci na lareira do meu irmão pra ver como esse carinha estava e ele estava meio tristinho e preocupado porque não conseguiu dizer boa noite para a mamãe, então eu o trouxe para fazer isso, ele disse que você não dorme direito quando ele não dá boa noite e não queremos que isso aconteça, não é mesmo? – Gina completa sorrindo



- É verdade – Hermione abre seu maior sorriso ao ver que seu menino, embora às vezes diga pra ela que já é um garoto crescido, ainda é um menininho da mamãe. Ela olha para o pequeno loiro, a cópia fiel do seu marido embora tenha muito dela em sua personalidade – eu sabia que teria dificuldades pra dormir hoje, porque achei que não iria ganhar um beijinho do meu garoto.



- Eu não ia esquecer, mamãe – o menino diz enquanto sai do colo de Gina e se dirige a Hermione – eu estava preocupado com você, mas aí a tia Gina veio e eu contei pra ela, então ela disse que você precisava descansar pra tomar conta da minha irmãzinha e ela queria que você dormisse direito, então ela me trouxe aqui pra dizer boa noite



- E o seu velho pai aqui, não ganha nada? – Draco diz fingindo ciúme, mas no fundo achando muito fofa a preocupação do seu pequeno com a mãe. O loiro sabe que muitas vezes Hermione rola os olhos e diz que o filho é igualzinho ao pai, mas ele sabe que ela adora estes pequenos cuidados do seu primogênito



- Ganha sim, papai – o menino diz enquanto abraça o loiro o que gera um suspiro de Hermione ao ver a interação dos dois loiros da sua vida e neste momento a sua pequena geme no berço.



Draco coloca ao filho na cama ao lado da mãe enquanto tira a pequena do berço, ele vê que seu primogênito observa tudo com a curiosidade herdada da mãe, o loiro se aproxima e senta-se na cama ao lado do filho – olha Rafael, essa é a sua irmãzinha, Helena – ele vê os olhos azuis do filho se abrirem e a sua boca formar um pequeno o



- Ela é tão pequenininha – ele diz meio decepcionado – eu não vou poder brincar com ela



- Ainda não, filho – Hermione diz segurando o sorriso – ela ainda é muito pequena, mas depois de um tempo vocês vão poder brincar juntos.



- E você vai ser um grande irmão mais velho – Draco completa



- Você quer segurá-la um pouquinho? – Hermione pergunta e vê seu pequeno abrir um sorriso, o sorriso do pai, o sorriso que ela ama duplamente e perguntar.



- Eu posso mesmo?



- Claro filho – Draco diz enquanto coloca cuidadosamente a sua caçula nos bracinhos ansiosos do filho – só toma cuidado, ta – ele olha para o bebê – oi Helena, esse é o seu irmão mais velho, Rafael. Ele vai ser um ótimo irmão e você vai amá-lo.



O pequeno loiro olha fascinado para a irmã enquanto diz – oi Helena, eu sou o Rafael e você é minha irmãzinha. Eu vou deixar você brincar com meus blocos de montar, vou deixar você voar na minha vassoura de brinquedo e se você ficar com medo eu voo com você – ele diz alheio aos olhares embevecidos dos pais – eu te amo, Helena...



Hermione enxuga uma lágrima discretamente ao mesmo tempo em que ostenta um sorriso bobo em sua face. Ela que durante um bom tempo pensou que o destino não tinha mais nada a lhe oferecer e por isso decidiu traçar seu próprio caminho, ela que pensou que o destino havia lhe castigado e pregado a pior peça de todas agora só tem a agradecer por tudo o que ele lhe proporcionou. Talvez o caminho não tenha sido o que ela escolheria no início, mas agora neste ponto da sua vida ela pode dizer que não mudaria nada e ela sabe que seu marido também não mudaria, pois apesar de tudo que ambos passaram o destino os conduziu um ao outro e ela não poderia ser mais grata por isso. Ela passa a mão nos cabelos do filho e beija o alto da sua cabeça murmurando:



- A sua irmãzinha também te ama, filho. Ela também te ama...



Fim





NOTA DA AUTORA



Finalmente o epílogo, finalmente o ponto final, final mesmo. O que eu posso dizer? Foram anos de fic, algumas pessoas desistiram eu tenho consciência disso, mas algumas pessoas se mantiveram fieis e acompanharam a minha jornada e eu não posso dizer nada mais além de um imenso obrigado a todos vocês que não perderam a paciência e ficaram por aqui. Nem tenho palavras para expressar a minha gratidão.



Quanto a novas fics, eu vou começar a postar uma Harry/Gina, em universo alternativo totalmente diferente de tudo o que eu já fiz. É uma coisa nova e eu estou meio insegura embora esteja bastante empolgada. A minha prioridade no entanto será concluir a vida é feita de escolhas parte 5, eu sei que ela ficou meio empacada no enredo mas estou cuidando disso e ela agora está deslanchando. Depois que ela for concluída eu começo com outra Draco/Hermione que começou a surgir na minha cabeça, desta vez em universo alternativo



Deixando bem claro que estes planos são apenas para o fanfiction . net , para aqueles que leem pela floreios e borrões eu infelizmente não vou mais postar neste site. Dói meu coração dizer isso porque eu sempre tive um carinho muito grande por ele. Infelizmente no entanto os problemas que venho enfrentando com a minha conta há alguns anos (sim, anos, vocês leram direito) fizeram com que postar na floreios seja mais uma dor de cabeça do que um prazer e a partir do momento em que isso aconteceu pra mim significa que é hora de parar. Repetindo eu não postarei mais no site floreios e borrões, no fanfiction . net continuarei a postar minhas fics normalmente.



No mais acho que é só. Espero encontrar vocês na "a vida é feita de escolhas parte 5" e nas minhas novas fics.



Bjos e obrigado por tudo. E só pra não perder o costume deixem uma palavrinha pra me fazer feliz.


Compartilhe!

anúncio

Comentários (0)

Não há comentários. Seja o primeiro!
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.