capítulo repostado 03/12



Na casa de Rony Weasley



Pandora olha para a sua cunhada. Ela quer falar, perguntar como Rony está, dizer que ela foi imatura e irracional. Mas neste momento a sua voz não sai, o semblante de Gina mostra que a ruiva definitivamente não está feliz, mas Pandora não consegue expressar uma palavra sequer. Ela apenas encara e espera.



Gina olha para a sua cunhada. Em sua mente ela chegaria na casa e lhe daria uma tremenda bronca e quem sabe uma azaração ou duas. No entanto nada a preparou para encontrar a espanhola no estado em que encontrou. A mulher tão vibrante e apaixonada agora nada mais e do que o rascunho de si mesma. É evidente que ela também está sofrendo, então a única coisa que ela consegue pronunciar é – por quê?



Pandora levanta a cabeça e encara a sua cunhada, ela não sabe o que dizer. A espanhola tem consciência que não há desculpas para o que ela fez, então ela murmura a única coisa que poderia:



- Eu amo o seu irmão – ela diz tremulante com os olhos marejados – eu sei que fiz tudo errado, mas eu amo o Rony, amo verdadeiramente, amo como nunca pensei que pudesse amar outro ser humano.



- Mas uma poção do amor? – Gina diz mais calma do que ela esperava – o que você tinha na cabeça? Não se pode casar com alguém por causa de uma poção do amor! Você sabe que isso pode ter consequências terríveis!



- Eu sei – Pandora diz cabisbaixa – não era essa a minha intenção, eu juro. Eu só queria que ele ficasse mais um tempo comigo, ele ia embora no dia seguinte e eu não estava preparada para deixar seu irmão partir. Ele disse que me escreveria e que a gente poderia se ver, mas você sabe como são os homens, então eu dei a poção achando que ele iria ficar mais um tempo na Espanha e a gente poderia se conhecer melhor, mas quando ele me pediu em casamento eu não resisti, eu sei que eu deveria ter dito que era muito cedo, mas antes que eu me desse conta, eu estava falando que sim.



- Mas por que você continuou com essa história? – a ruiva indaga. A sua ideia inicial de lançar uma azaração na cunhada já foi esquecida, agora só o que ela quer é entender o que leva uma mulher a tomar essa atitude.



- Eu não sei – a espanhola balbucia – acho que é porque estava tudo tão perfeito. O Rony estava se mostrando tão apaixonado, eu só queria viver meu sonho por mais um tempo. Então eu fui levando, eu fui deixando e colocando as poções na comida. Toda vez eu pensava, é só mais um dia e eu paro e enfrento as consequências, mas eu não tinha coragem de parar. Até que um dia eu acordei e fiquei um tempão observando seu irmão dormir, aí eu vi que ele não merecia isso, que se eu o amasse como eu pensava amar, eu deixaria que ele se fosse, que se eu realmente o amasse eu não o prenderia da forma que eu havia feito – ela respira fundo – então eu decidi parar com as poções. Eu tive medo que ele simplesmente me deixasse, mas isso não aconteceu. Eu não sei até agora porque ele não saiu correndo quando o efeito passou, mas ele foi ficando e eu fui ficando cada vez mais apreensiva. Eu acho que eu me apeguei tanto aquele concurso maldito pra ter algo com que me ocupar, tirar o foco de passar o tempo todo pensando em quando ele iria me deixar. Foi outro erro meu, eu deveria ter contado tudo, mas eu simplesmente não tive coragem, eu sei que ele me odeia agora e eu preciso aceitar isso, mas eu queria ver o Rony mais uma vez, a última, antes de ir embora.



- Eu não sei – Gina diz olhando para a cunhada. A sua raiva pelo que ela fez não passou, mas ver a mulher tão destruída na sua frente talvez a tenha amolecido um pouco, a ruiva tem que admitir – ele está muito magoado.



- Por favor – a espanhola suplica, ela respira fundo – uma última vez é só o que eu peço, depois eu juro que ele nunca mais vai ouvir falar de mim.



- Vou ver o que eu posso fazer – é tudo o que Gina diz antes de se retirar...



XXXXX



Enquanto isso



Hermione caminha pela casa. Ela vem fazendo isso desde que Draco saiu, a morena tentou ler, organizar as coisas do bebê, mas não teve foco para fazer nada disso. Hermione está preocupada com a ida do loiro à clínica, mas não é só isso, ela tem que admitir que está sentindo falta dele. Faz poucas horas que Draco saiu e ela, que achou que iria ficar aliviada sem Draco para segui-la por todos os cantos da casa, agora está sentindo falta da atenção e até da paranoia constante do pai do seu filho.



Ela pensa no que vai fazer depois que o seu bebê vier ao mundo. O certo seria ir para a sua casa, Hermione se preparou para seguir este caminho sozinha, mas ao mesmo tempo agora que ela tem Draco na sua vida, ela não sabe como seria fazer isso sem ele. A morena sabe que por ele, ela continuaria onde está, na mansão Malfoy, mas uma parte dela teima em dizer que isso não seria certo.



Ela olha para o relógio mais uma vez. Hermione já perdeu as contas das vezes que fez isso desde que Draco saiu. Fique calma, Hermione. Ela diz para si mesma. Não deve ser nada de mais, provavelmente apenas um problema burocrático. Daqui a pouco o Draco chega e você vai saber de tudo. Agora pense na sua pressão, a última coisa que você quer é que ela suba a essa altura do campeonato.



Antes que a pressão de Hermione suba ou que ela resolva dar mais uma volta pela casa e olhar mais uma dúzia de vezes para o relógio, ela ouve um som de aparatação. Draco está voltando...



XXXXX



Na casa de Harry e Gina



Harry vê Gina entrar, a ruiva deixa a sua bolsa e varinha pelo caminho e larga-se no sofá com um suspiro como se estivesse exausta.



- Tudo bem? – ele pergunta enquanto a abraça – você saiu de repente, eu fiquei preocupado.



- Tudo, eu acho – ela murmura – eu fui ver a Pandora.



- Eu devo chamar um desfazedor de feitiços ou de maldições? – Harry diz em tom de brincadeira, mas temendo lá no fundo que isso seja verdade.



- Eu juro que eu pensei nisso uma ou duas vezes – Gina diz com um suspiro – mas eu não tive coragem, não depois de ver o estado em que ela estava. Eu sei que eu nunca gostei muito dela, que eu sempre tive o pé atrás, mas foi difícil vê-la daquele jeito.



Harry fica em silêncio. Ele sabe que a sua esposa fez o que fez com a melhor das intenções, mas ele não sabe se foi uma boa ideia Gina se meter desta forma na vida do irmão.



- Eu sei, Harry – a ruiva fala adivinhando os pensamentos do marido – eu sei que isso não é da minha conta, mas eu tinha que fazer alguma coisa! Eu tinha que encará-la e saber como ela teve coragem de fazer isso com meu irmão. Eu sei que não devia me meter...



Gina para de falar ao ver uma figura ruiva surgir na porta. O semblante de Rony lhe diz que ela realmente não deveria se meter...



XXXXX



Na casa de Draco Malfoy



Hermione olha o semblante de Draco tentando adivinhar o que se passou, algo lhe diz que o loiro não irá lhe contar se for algo grave. No entanto o semblante sonserino dele não deixa nada transparecer e não resta a Hermione outra saída a não ser perguntar – e aí, como foi? O que eles queriam? Era alguma coisa grave? Eles sabem sobre a gente?



- Calma! – Draco diz – eu vou contar o que aconteceu...



XXXXX



Pouco antes, na clínica de inseminação



Draco senta-se no local indicado. Seu semblante impassível não deixa transparecer que seu coração está disparado. Em sua mente várias hipóteses, desde a mais absurda da clínica ter se enganado mais uma vez até as mais trágicas como seu câncer ter retornado.



- Bem, senhor Malfoy – o advogado começa – o senhor disse que iria nos procurar a respeito daquele problema e, no entanto nunca mais entrou em contato.



- Digamos que eu tenho outras prioridades no momento – Draco diz – e se me permitem, eu não posso me demorar. Então eu peço por gentileza que os senhores vão direto ao assunto.



- Pois bem – o advogado assume um tom profissional – a clínica reconhece o erro que cometeu ao usar seu material reprodutivo sem seu consentimento e estamos dispostos a pagar uma indenização, desde que o senhor se comprometa a não procurar a mãe da criança e nem nos processar futuramente. Nós chamamos o senhor aqui para entrarmos em acordo, pois não podemos correr o risco de que a nossa reputação fique manchada...



O homem continua falando, mas Draco não está mais prestando atenção. Ao seu alívio de saber que não é nada grave, soma-se a indignação pelo fato da clínica estar mais preocupada com a sua reputação do que com o estrago que ela poderia ter causado em sua vida. Se a mulher que recebeu a sua semente não fosse uma bruxa, sabe-se lá o que poderia acontecer. Ele olha para o advogado que continua falando – antes de tudo – ele o interrompe – eu gostaria de saber quem mais sabe desta história.



- Nós procuramos manter tudo isso o mais privado possível – quem fala agora é o dono da clínica – só quem sabe além de nós é o médico que realizou o procedimento e o estagiário que cometeu o engano.



- Pois bem, eu gostaria de vê-los antes de tomar qualquer decisão – Draco diz de forma séria – é a única exigência que eu faço, se possível agora. Depois assino qualquer coisa.



O dono da clínica e o advogado se entreolham meio desconfiados, até que o advogado diz – o senhor dá sua palavra que depois disso entraremos em um acordo? – ele vê Draco assentir com a cabeça – pois bem, vou buscá-los.



Draco respira fundo e assim que o médico e o estagiário entram, ele empunha a sua varinha. O loiro fará o que é preciso...



XXXXX



De volta à mansão Malfoy



- Eu não acredito, Draco! – Hermione diz estarrecida – eu não acredito que você obliviou a todos! Se o ministério descobrir...



- Ora, Hermione! – ele encara a mãe do seu filho – como o ministério descobriria? Só se você contar e eu duvido que você me denunciaria por isso – ele segura a sua mão – acredite, foi melhor assim pra nós e pra eles também, já que não vão precisar mais se preocupar com qualquer tipo de processo.



- Mesmo assim – Hermione tenta ainda argumentar. O seu lado certinho está dizendo que isso não é correto, mas ao mesmo tempo uma parte dela, uma grande parte por sinal está aliviada por isso.



- Ei... – Draco diz sentando-se a seu lado – eu sei que eu poderia ter feito o acordo, mas ninguém garante que isso não seria descoberto um dia. Eu sei que não foi correto, mas pense da seguinte forma, isso vai nos dar a chance de esperar a chegada do bebê com tranquilidade, não é isso que você quer? – ele vê Hermione assentir com a cabeça – então vamos esquecer esse assunto, tudo bem? Agora vamos almoçar. Eu mal comi no café da manhã, estou morrendo de fome.



O casal se levanta para partilhar a refeição. Hermione embora esteja aliviada também está preocupada, alguma coisa em sua mente diz que esta história ainda não acabou...



XXXXX



Na casa de Harry Potter



- O que você fez, Gina? – Rony diz em um tom de voz extremamente calmo para as circunstâncias, o que espanta e preocupa o casal. O normal seria o ruivo explodir com a intromissão da irmã, mas não, ele perguntou educadamente enquanto senta-se no sofá e segura a cabeça com as mãos.



- Rony – a ruiva balbucia esperando uma explosão que não vem. Ela senta-se ao lado do irmão – eu sei que eu não devia, desculpe. Mas eu não aguento mais ver você assim, eu tinha que vê-la, eu tinha que tentar entender o que leva uma mulher a tomar uma atitude como essa. Eu sei que você está bravo, me desculpe eu não devia me meter na sua vida desse jeito, você é um homem adulto e deve tomar as suas próprias decisões.



- Como ela está? – o ruivo pergunta, é como se ele não tivesse sequer ouvido as desculpas da irmã.



- Arrependida, eu acho – Gina diz. Mesmo que ela não goste muito da cunhada, ela se vê na obrigação de falar a verdade – ela disse que foi um impulso, que não imaginava que você a pediria em casamento, mas não pôde resistir – ela olha para o irmão – Rony, você sabe que eu sempre tive reservas com a Pandora. Mesmo que eu nunca tenha dito, você me conhece – ela vê o ruivo assentir com a cabeça – eu sempre achei que ela era uma mulher grudenta que não te dava espaço, mas eu nunca duvidei que ela te amasse. Agora você tem que se perguntar, você realmente a ama?



- Eu pensei que amava – Rony diz – mas agora eu não sei. Eu nunca vou saber se o que eu senti por ela era amor ou efeito da poção – ele respira fundo – eu nunca vou saber, ela tirou isso de mim. Mesmo que eu a perdoe, eu sempre vou ter essa dúvida comigo, eu sempre vou achar que ela fez alguma coisa, e mesmo agora eu não sei, pode ser que o que eu ache que eu sinto por ela seja efeito da poção...



- Rony – Gina respira fundo e encara o irmão – ela disse que gostaria de te ver uma última vez



- Eu não sei – Rony diz e a sua voz é pouco mais que um murmúrio – eu tenho medo de vê-la e não ser forte o suficiente pra fazer o que eu preciso.



- E o que você precisa fazer, Rony? – a sua irmã pergunta



- Eu preciso terminar este casamento – ele diz – é isso que eu tenho que fazer, se eu ficar com ela, eu nunca saberei se estou fazendo isso porque eu quero ou se ela está usando alguma coisa.



O casal se entreolha sem saber direito o que dizer. É evidente que o ruivo está sofrendo e tudo indica que Rony gosta mesmo da esposa, por outro lado eles também sabem que a confiança é uma parte muito importante de um relacionamento e que seria muito difícil Rony confiar na espanhola novamente.



- Então Gina senta-se ao lado do irmão e o abraça apertado, da forma que só os irmãos sabem fazer – Rony – ela murmura – eu sei que você está confuso e sinceramente eu também não saberia o que fazer. Eu não sei o que te falar agora, juro que eu não sei. Mas eu posso dizer que vou te apoiar seja qual for a sua decisão. Eu te amo, você sabe disso, não sabe? – ela diz enquanto dá uma fungada e tenta impedir as lágrimas caiam – mesmo você sendo um chato de vez em quando.



- E eu te amo também – Rony diz com um sorriso triste – mesmo você sendo implicante e intrometida na maioria das vezes – ele olha para a irmã e em seguida para o cunhado – obrigado por me aguentarem, eu sei que não estou sendo muito fácil esses dias.



- Imagina, cara – Harry diz – amigos são para essas coisas. Eu sei que está difícil pra você, mas no final tudo vai dar certo.



- Espero que sim – o ruivo responde e a sua voz nada mais é do que um sussurro – espero que sim...



XXXXX



Os dias continuam passando e cada um deles é um dia a menos para a chegada do bebê. A esta altura do campeonato é difícil dizer quem está mais ansioso.



Draco se esforça para não chatear muito Hermione com a sua preocupação, mas ele sabe que Hermione nota, e ela também se esforça para não se irritar muito com todo o cuidado do loiro.



A sua pressão está mais alta do que de costume e neste momento ela precisa de repouso absoluto. Gina sugeriu interná-la, mas acabou aceitando que ela ficasse na casa do loiro desde que fosse monitorada o tempo todo e só saísse da cama se fosse estritamente necessário. A morena suspirou, mas fazer o que? Ela teve que concordar.



E assim ela passa os seus dias. Entre os livros, as conversas com o loiro e até mesmo com os elfos que a tratam como se ela fosse a própria dona da casa e não sabem mais o que fazer para agradá-la e é deste jeito que ela se encontra nesta manhã, com uma bandeja de café a seu lado, preparando-se para ler o jornais matinais. Draco disse que iria dar um pulinho rápido nas empresas e que voltaria antes do almoço. O loiro relutou muito em sair de casa, mas a sua presença era realmente necessária e como Hermione garantiu que estava bem e que os elfos garantiram que não sairiam de junto dela, o loiro meio inseguro foi cumprir a sua obrigação.



A morena termina o seu desjejum e prepara-se para ler os jornais, ignorando uma dorzinha chata em suas costas e os chutes do bebê em suas costelas. Ela passa os olhos rapidamente nas manchetes do dia e empalidece com o que vê...





NOTA DA AUTORA



Confesso que pensei duas vezes antes de aparecer aqui depois de ter parado onde eu parei, mas decidi arriscar e torcer pra não receber nenhuma azaração. Aqui está o capítulo, espero que tenham gostado.



Eu estou fazendo o possível pra postar com alguma regularidade, mas não posso garantir muita coisa. Só o que posso garantir é que estou sempre me esforçando e tentando arrumar um tempinho pras fics. Então quem puder tirar também um tempinho pra deixar um comentário, eu agradeço e fico muito feliz.



Bjos e até o próximo



NOTA 2



Estou fazendo o possível pra postar todo dia, mas às vezes não vai ser possível, mesmo assim se tudo der certo na próxima semana já estará como estava antes do problema com o site


Compartilhe!

anúncio

Comentários (0)

Não há comentários. Seja o primeiro!
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.