Revelado



Nas empresas Malfoy



Draco analisa os papeis lutando para prestar atenção em tudo, a última coisa que ele quer é deixar alguma coisa de fora, pois isso pode fazer com que ele tenha que retornar e a última coisa que ele quer é precisar ir novamente ao trabalho. Definitivamente ele não voltará enquanto seu filho não nascer!



O loiro nunca imaginou que os últimos dias pudessem ser tão tensos pra ele, somados a sua ansiedade está o esforço para não chatear Hermione que com a sua maldita independência ainda se enfurece com o excessivo cuidado dele e ao mesmo tempo em que ele anseia pela chegada do bebê, ele também teme pelo que isso significaria. Draco sabe que a independência da mãe do seu filho vai fazê-la querer voltar para a sua casa e ele definitivamente não quer isso.



Não, ele não quer que Hermione se vá e isso não é apenas por causa do bebê. Ele quer que ela fique porque gosta da sua companhia, ele quer que ela fique porque já se acostumou a dormir com ela nos braços, ele não quer que ela vá embora porque, diabos, ele está mesmo apaixonado por Hermione!



O loiro olha de relance para os jornais matinais. Hoje ele não fez a sua leitura habitual matinal, pois quanto mais cedo terminar de resolver o que precisa, mais cedo ele irá ficar com Hermione. Mas antes que ele possa se concentrar em seus afazeres, ele vê uma figura pequena aparatar, um dos seus elfos de confiança que não precisa falar nada para que Draco saiba que algo aconteceu...



XXXXX



Pouco antes



Hermione olha para a manchete, ela não acredita no que os seus olhos vêem, seu segredo e o de Draco estampado em letras garrafais. Ela não precisa ler a matéria para saber quem é a responsável por isso.



A morena sente o café da manhã revirando em seu estômago, ela tenta ir até o banheiro, mas as suas pernas estão fracas, ela tenta chamar por ajuda, mas a sua voz nada mais é do que um sussurro. Hermione só tem tempo de encostar na parede antes de desfalecer...



XXXXX



Nas empresas Malfoy



Draco tenta tirar alguma informação da criaturinha que bate com a cabeça na parede e murmura desculpas e palavras sem nexo, o loiro sente seu coração falhar uma batida. Não há tempo a perder, ele ordena que o elfo pare de chorar e se castigar e conte o que aconteceu.



- A senhorita Granger havia terminado de tomar o café da manhã, então fui levar a bandeja para a cozinha, quando eu voltei, ela estava no chão. Foi só um minuto, eu juro. Ela me pediu que fosse, eu não deveria ter saído, eu não deveria ter deixado ela, mas ela pediu – o elfo diz enquanto bate com a cabeça na parede – eu não sei o que aconteceu.



- E o que você fez? – Draco pergunta sentindo a bile se formar em sua garganta – onde ela está?



- Eu a coloquei na cama –o elfo diz com a voz tremulante – eu ia levar a senhorita Granger para o hospital, mas ela me ordenou que viesse chamá-lo, eu não podia desobedecer a minha senhora.



Draco olha para a criaturinha enquanto diz – me leve até ela agora! – o loiro sabe que está nervoso demais para aparatar neste momento, tão nervoso que nem percebeu a forma como o elfo se referiu a Hermione. Minha senhora...



XXXXX



Na mansão Malfoy



Draco chega e corre para o seu quarto. Ele vê Hermione na cama ainda desacordada, ele não é medibruxo, mas o loiro sabe que isso não é nada bom. Ele quer muito saber o que aconteceu, mas no momento isso não importa, só o que importa é que Hermione e seu filho estejam bem.



- Hermione! – ele diz lutando para não demonstrar o seu desespero. A última coisa que ele precisa é perder a cabeça neste momento – por favor, acorde. O que aconteceu?



Draco dá tapinhas suaves na mão dela e vê com um suspiro de alívio que Hermione abre os olhos lentamente – O que aconteceu? – ele indaga novamente.



- Eu estava lendo o jornal – ela fala com uma voz fraca e ofegante – aí eu vi a notícia, eu fiquei enjoada e tentei chegar ao banheiro, aí tudo ficou escuro...



O loiro olha para ela. Ele não entendeu muito bem o que aconteceu para deixar Hermione neste estado, mas uma coisa ele, sabe eles precisam ir para o hospital. Então ele a pega em seus braços e aparata...



XXXXX



Quase ao mesmo tempo



Rony anda pelo Beco Diagonal, ele ainda não percebeu, mas inconscientemente o ruivo está fazendo o mesmo caminho que fez quando mostrou o local para Pandora pela primeira vez. É quase como se ele quisesse reviver estes momentos tão felizes.



A cabeça do ruivo está uma bagunça. O tempo que ele está dando sinceramente não está adiantando muita coisa. Ele continua tão confuso e sem rumo quanto no dia em que ele descobriu a respeito da poção do amor.



Ao mesmo tempo em que ele sabe que deve tomar uma atitude e sabe exatamente qual seria esta atitude, ele está com medo. Rony teme não conseguir fazer o que precisa ser feito se encontrar a sua esposa cara a cara, a saudade que ele sente é algo que ele não fala para ninguém, mas ela está lá.



O ruivo respira fundo. Ele não pode mais adiar nem esconder o que está acontecendo, ele vai fazer o que precisa ser feito...



XXXXX



No hospital St Mungus para acidentes mágicos



Draco está na sala de espera, ele não sabe dizer a quanto tempo. Assim que viu Hermione, a ruiva empalideceu e a levou. Ela não perguntou o que havia acontecido, não o azarou, sequer alterou a voz. Ao contrário, Gina não falou uma palavra sequer, apenas chamou mais uns dois ou três medibruxos e eles levaram Hermione. O loiro não é medibruxo, mas ele sabe que o jeito que a ruiva agiu indica que não é nada bom.



Ele anda de um lado para o outro enquanto espera algum tipo de notícia. Seu estômago se contorce só em pensar que seu filho pode estar nascendo neste exato momento e ele não está lá para testemunhar o momento. Draco sabe que Hermione tem conhecimento do quanto isso é importante pra ele e se a morena não pediu que o chamassem é porque algo realmente está errado.



Ele vê a medibruxa ruiva caminhar em sua direção, dá pra ver no semblante dela que ela está exausta. Exausta e preocupada, mas sinceramente Draco não liga para o estado da ruiva, ele só quer saber como Hermione está e as palavras saltam da sua boca sem que ele tenha controle:



- Como ela está? O bebê nasceu?



- Acalme-se, Malfoy – a ruiva diz tentando mostrar-se profissional, mas dá pra ver no semblante dela que Gina está preocupada – ela está estável no momento e só o que eu posso dizer – ela olha para o loiro – o que aconteceu?



- Eu não sei direito – o loiro diz. Em outra ocasião, ele estaria temeroso da reação da ruiva, mas neste momento só o que ele tem é preocupação com Hermione e com o bebê – eu precisei sair para resolver uns assuntos pendentes na empresa e um elfo surgiu dizendo que a encontrou desmaiada. Eu voltei pra casa e tentei conversar com ela, ela falou algo a respeito de uma reportagem, mas eu não prestei muita atenção, eu vi que ela precisava de cuidados e a trouxe pra cá.



- Você fez bem – a ruiva diz – a pressão dela atingiu níveis preocupantes. Se você não tivesse feito isso, poderia haver conseqüências sérias pra ela e para o bebê.



- E como eles estão? – o loiro pergunta novamente. A seu ver, estável não é uma resposta aceitável.



- Bem – Gina suspira e assume um tom profissional – a pressão da Hermione teve uma subida considerável e preocupante, mas felizmente conseguimos contornar por hora. Se isso não tivesse acontecido nós teríamos que fazer um parto de emergência, o bebê já está pronto pra nascer mesmo assim não seria seguro – ela olha para o loiro – eu sei que você está fazendo o seu melhor, mas acho que deixá-la ir pra casa nesta altura do campeonato seria um risco desnecessário. Ela vai precisar ser monitorada, se a pressão subir novamente desta forma eu não vou ter alternativa a não ser fazer o parto, se eu não fizer, ela e o bebê vão correr riscos.



- Ela está consciente? Eu posso vê-la? – o loiro pergunta, ele vê que Gina fica relutante – por favor, só por um minuto, eu preciso ver com meus próprios olhos.



- Tudo bem, Malfoy – a ruiva diz com um suspiro – ela está consciente, mas a sua pressão está oscilando muito, então você não pode nem pensar em tocar em qualquer assunto que a deixe nervosa. Eu sei que você quer saber o que aconteceu e acredite, eu também quero, mas a prioridade é a saúde dela e do bebê, lembre-se disso.



O loiro assente com a cabeça e segue a medibruxa pelos corredores ao mesmo tempo em que tenta acalmar as batidas do seu coração.



Ele vê Hermione deitada com um semblante visivelmente pálido, Gina passa a varinha pela extensão do seu corpo e emite um discreto suspiro de alívio – a sua pressão normalizou, mas você nos deu um susto e tanto – ela olha para o casal – eu vou deixar vocês conversarem por alguns minutos – ela olha para o loiro – lembra que ela não pode se estressar, então cuidado com o que você fala – em seguida seu olhar se volta para a amiga – eu sei que aconteceu alguma coisa que te chateou, mas agora você não pode pensar nisso. Só se preocupe com o bebê, por pouco não tivemos que fazer seu parto as pressas.



- Fique tranquila, Weasley – Draco diz – eu juro que não vou tocar em nenhum assunto que deixe a Hermione chateada e se ela tentar, eu corto.



- É Potter agora – Gina diz – eu volto em alguns minutos pra ver se está tudo bem – ela completa antes de se retirar.



Draco olha para Hermione, o loiro não pode negar que gostaria muito de perguntar o que aconteceu, mas neste momento ele precisa pensar no bem estar da mãe e da criança, então ele pergunta – você está bem? Que susto você me deu!



- Foi ela, Draco – Hermione sussurra. Ela sabe que não deve se exaltar, mas ela precisa falar – foi a Skeeter. Ela descobriu tudo sobre o bebê, está no jornal!



Draco senta-se a seu lado e coloca um dedo sobre seus lábios – não fale nada agora, por favor. Não vamos fazer a sua pressão subir – ele olha para Hermione, o loiro não sabe direito o que dizer, ele teme que qualquer coisa que diga vá fazer com que a pressão dela se altere e se isso acontecer, ele não se perdoará, já basta o fato dele ter saído justamente quando isso aconteceu. Sim, o loiro se sente culpado e ele vai fazer o que for possível para não piorar a situação – seja o que for que aconteça – ele finalmente diz – nós estamos juntos e vamos superar, agora se concentre apenas em ficar bem. Pelo bebê... – ele diz enquanto acaricia a sua barriga – e por nós dois



- Mas Draco – ela ainda tenta argumentar – nossa vida vai virar um inferno! Os repórteres, os fotógrafos... (uma lágrima cai dos seus olhos) isso vai ser um pesadelo!



- Não, não vai – ele tenta acalmá-la e se manter calmo. Se a pressão da mãe do seu filho subir, Draco sabe que certamente será azarado pela medibruxa ruiva e, além disso, ele não se perdoará – nós vamos dar um jeito em tudo, eu prometo. Você confia em mim? – ele vê que Hermione assente com cabeça – tudo vai ficar bem. Agora vamos focar no Junior – ele vê que Gina entra – eu vou pegar algumas coisas em casa pra você, livros, artigos pessoais e vou pegar algumas coisas pra mim também.



- O que realmente você quis dizer com pegar algumas coisas suas? – a medibruxa pergunta



- Nem começa, Weasley – Draco retruca – se você está pensando que eu vou me afastar dela um minuto a mais do que o estritamente necessário, pode me azarar agora. Porque só assim eu vou deixá-la e eu digo antes que a gente comece a brigar que isso pode fazer a pressão da Hermione subir e você mesmo disse...



- Tudo bem! – Gina o corta com um aceno de mão – vá buscar as suas coisas que eu vou tentar dar um jeito por aqui. Mas eu digo, se você sequer pensar em irritar a minha amiga e fizer a pressão dela subir, eu vou te azarar tão feio que este bebê vai ser filho único



- Ei, eu estou aqui, sabiam? – Hermione diz meio chateada por estarem falando desta forma como se ela não estivesse presente, ela olha para o loiro – você não precisa ficar aqui, eu vou ficar bem.



- Hermione – Draco a interrompe – eu não faço as coisas porque eu preciso, eu faço porque eu quero, você já devia saber – ele a encara – você quer que eu fique? – ela assente com a cabeça e ele sorri e olha desafiadoramente para a medibruxa ruiva – então eu vou ficar, vou apenas me ausentar pra pegar as suas coisas e as minhas e daqui a pouco estou de volta – ele diz enquanto se retira sem notar o sorriso da ruiva...



XXXXX



Enquanto isso



Rony entra em sua casa. Seu coração está aos pulos, mas ele faz o possível para aparentar calma e sangue frio, ele vai precisar disso para fazer o que tem que ser feito. Ele olha para as paredes repletas de fotos suas e da esposa. Tudo uma mentira... Ele pensa tristemente.



O ruivo resolve ficar na sala e esperar que Pandora note a sua presença. Ele não quer encontrá-la em um quarto, verdade seja dita a sua esposa é uma mulher muito sedutora e ele sente muito a falta dela. Rony não sabe se conseguiria resistir a uma tentativa de sedução.



- Mi vida – ele ouve o sotaque carregado da esposa. Rony se vira lentamente e ele não estava preparado para encontrar a esposa desta maneira. Sua pele está pálida, seu semblante está entristecido, mas ela não parece apenas triste, ela parece doente.



- Você veio – a espanhola diz e as lágrimas se formam em seus olhos – você veio...



- Sim Pandora – ele respira fundo enquanto desvia o olhar. Rony tem medo que se encará-la, ele não consiga fazer o que é preciso – a Gina disse que você queria me ver.



- Eu queria, mi vida – ela diz relutante – eu queria te ver nem que fosse uma última vez pra te dizer que eu te amo – ela vê que Rony quer falar – não, por favor – ela o interrompe – eu preciso falar, eu queria dizer que eu te amei desde que você chegou para aquele congresso, eu nunca pensei que pudesse sentir algo assim, mas eu senti – ela respira fundo – eu nunca quis te magoar e não imaginava que isso iria tão longe. Era só pra você ficar mais um tempo comigo, eu não imaginava que você me pediria em casamento...



- Visto que você me deu uma poção do amor era realmente difícil imaginar uma coisa dessas – ele diz com ironia – por que você aceitou? Droga!



- Eu não sei! – ela grita – eu não sei! Eu agi num impulso, eu queria ficar com você. Foi uma estupidez, foi uma atitude impensada e eu estou pagando pelo meu erro – ela segura o estômago e senta-se visivelmente pálida.



- Você está bem? – Rony diz esquecendo-se momentaneamente que eles estão discutindo.



- Estou... Eu estou bem – ela murmura, embora seu semblante diga o contrário – mi vida – ela murmura – eu não pedi pra você vir porque eu queria pedir perdão. Eu quero, é verdade, mas acho que isso não vai ser suficiente. Eu já te disse tudo da última vez que conversamos, eu agi num impulso e depois não tive coragem de parar, simples assim. Eu me arrependo disso desde que nos casamos e vou me arrepender pelo resto da minha vida, mas o que está feito está feito. Eu vou ficar aqui até nosso casamento ser anulado e depois volto para a Espanha.



Rony olha para a esposa. Seu coração esta descompassado, mas felizmente ele consegue manter a sua pose, enquanto respira fundo e diz – você não precisa ficar, basta que você assine os papeis, depois que tudo estiver pronto eu te aviso e cada um vai poder tocar a sua vida.



- Se é isso que você quer – ela murmura e a sua voz é praticamente inaudível.



- É isso que eu quero – Rony diz lutando para não vacilar – é isso que precisa ser feito



E dizendo estas palavras o loiro sai sem olhar pra trás...



XXXXX



Na mansão Malfoy



Draco aparata. Ele quer pegar as suas coisas rapidamente, cada minuto que ele fica longe de Hermione parecem horas para ele, em sua mente apenas o pânico de pensar que seu filho pode nascer enquanto ele estiver longe. Sim, ele está sendo neurótico, mas isso é totalmente aceitável depois do susto que ele passou.



Ele olha as coisas de Hermione ao lado das dele, exatamente como deveria ser. Querendo ou não, eles são um casal. Não há como negar este fato, o destino quis assim.



O loiro separa algumas peças, artigos de higiene e alguma coisa para ler sem se dar conta que faz isso automaticamente como se eles fossem um casal há anos, ele sabe exatamente o que Hermione iria pegar. Neste momento seu olhar cai sobre um jornal ao lado da cama. Draco pega o jornal e vai direto à coluna da Skeeter. Seus olhos se abrem à medida que ele lê a reportagem, não admira Hermione ter um pico de pressão ao ler a notícia.



Mas antes que ele possa ficar mais furioso do que já está, um elfo entra assustado dizendo que dúzias de repórteres estão tentando entrar no jardim...





NOTA DA AUTORA



Espero que ninguém queira me azarar por ter parado justamente nesta parte... Não façam isso! Autora azarada demora mais pra atualizar, rsss. Brincadeiras a parte, aqui está mais um capítulo, estou fazendo o meu melhor pra manter a constância das atualizações, sei que não é o ideal, mas já melhorei bastante em comparação com alguns meses atrás.



Espero que tenham gostado e se puderem deixar uma palavrinha eu vou ficar muito feliz, acho que mais uns dois ou três capítulos e a fic chega ao final.



Bjos e até o próximo



NOTA DA AUTORA 2



Este capítulo está pronto faz tempo, mas infelizmente os problemas com o site não me permitiram postar. Já tenho outro pronto também que postarei em alguns dias.


Compartilhe!

anúncio

Comentários (0)

Não há comentários. Seja o primeiro!
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.