Um flagrante inusitado



- Eu diria que de todas as pessoas deste ministério, entre estagiários e o próprio ministro, a senhorita é a última pessoa que eu esperaria ver nesta posição



Hermione levanta o olhar e vê, horrorizada, que seu chefe está na sala assistindo a cena



Ela tenta falar alguma coisa, mas está nervosa demais para pensar em algo e mesmo que conseguisse, Hermione duvida que sua voz iria sair e mesmo que saísse ela duvida que conseguisse articular algo com alguma coerência e mesmo que conseguisse a coerência necessária, ela teria que interromper seu chefe que continua falando e neste momento aperta a mão de Draco Malfoy com uma intimidade que ela nunca o viu ter com alguém



Ela vê Draco trocar algumas palavras com seu chefe. Aos poucos Hermione volta a adquirir a sua tão famosa lucidez e luta para não deixar seu queixo cair, ela está sonhando ou seu chefe está se referindo a Draco Malfoy como seu noivo?



Então está combinado, senhor Malfoy – ela ouve seu chefe dizer – espero você e a senhorita Granger no jantar do meu aniversário e espero receber logo o convite do casamento. Vou deixar vocês a vontade agora, mas se me permitem eu sugiro que tranquem a porta da próxima vez



E com estas palavras o senhor Lawrence deixa a sala de Hermione



Hermione olha para o loiro. Aos poucos a sua mente volta ao normal e antes que perceba as palavras saltam de sua boca sem que tenha controle – você pode me dizer o que aconteceu aqui?



Draco olha para Hermione, ainda sem acreditar que ela tenha mesmo lhe perguntado isso. Afinal de contas foi a ele que aquele homem se dirigiu com uma intimidade estranha dizendo que era um prazer finalmente conhecer o noivo da senhorita Granger, e ela tem coragem de lhe perguntar o que está acontecendo?



O Draco Malfoy de alguns meses atrás certamente daria uma resposta grosseira, mas quando ele vê o semblante desesperado da mãe de seu filho, ele simplesmente não consegue, então ele apenas diz – eu sinceramente não sei, esperava que você me explicasse. Que história é essa de noivo?



Hermione suspira e o encara dizendo – desde que soube que eu estou grávida, ele colocou na cabeça que eu tinha um noivo – ela abaixa a cabeça meio envergonhada – e eu... Bem... Eu não tive como dizer a ele que não tinha um noivo, eu fui covarde, eu sei, mas ele simplesmente não me deu a chance quando ele começou com esta história e depois o momento adequado parecia nunca aparecer e agora...



Agora ele entrou, nos viu em uma posição comprometedora e tirou as próprias conclusões – o loiro adivinha o óbvio – eu só não entendi a história desse jantar



É o jantar de aniversário do senhor Lawrence – ela suspira – eu pensei que fosse uma reunião íntima, pelo menos foi o que ele me fez acreditar, mas a Gina me disse que não é bem assim e agora ele espera que a gente vá juntos e vai ter muita gente conhecida lá e tem a Skeeter... – ela dispara sem perceber que não está exatamente falando coisa com coisa



Draco olha para a mãe de seu filho que dispara palavras como uma varinha com defeito dispararia faíscas. É evidente que ela está nervosa demais para conectar seus pensamentos, então ele delicadamente a segura pelos ombros e a obriga a sentar antes a situação acabe fazendo mal ao bebê



Calma, por favor, fique calma – ele diz enquanto Hermione se senta – deixe ver se eu entendi. O seu chefe acha que você tem um noivo e convidou você e este noivo para o jantar do seu aniversario que pelo jeito não perde em nada para os jantares do ministro. Acertei?



Ele vê Hermione assentir com a cabeça e continua – então está resolvido! Vamos juntos ao tal jantar e tudo fica bem – ele se encolhe diante do olhar que Hermione lhe dá. Draco já devia adivinhar que ela não iria gostar da solução



Você enlouqueceu? – ela diz contendo a sua raiva – acha mesmo que vamos simplesmente nos apresentar como noivos e tudo se resolve? Isso seria uma mentira! Além disso, como eu iria explicar para os meus amigos?



Draco ultimamente tem mais paciência com Hermione Granger do que teria em todos os seus anos de escola, mas tudo tem limite e sem querer a mãe de seu filho ultrapassou este limite dizendo mais uma vez que o relacionamento de ambos causaria problema com o santo Potter e com o ruivo pobretão



Hermione se encolhe diante do olhar gélido que recebe de Draco Malfoy e neste momento ela sente que ultrapassou um limite frágil. Um limite nunca citado, mas como a mulher inteligente que é, ela sempre soube que estava lá. A morena sempre soube que Draco fica chateado sempre que ela cita os seus amigos, principalmente quando diz que eles iriam desaprovar o que quer que ela e Draco tenham



Sempre os seus amigos, não é mesmo Granger? – ele diz calmamente o que é ainda mais assustador do que um rompante de fúria – o mundo sempre girando em torno da sua pessoa... Pois bem – ele respira fundo – agora é a hora de escolher, você pode sair por aquela porta e contar tudo para seu chefe que pelo que eu pude perceber não é exatamente um homem moderno, ou pode arrumar um jeito de não se indispor com seus amigos, talvez contando a verdade – ele parece pensativo – mas pelo jeito a verdade não é algo que você ande gostando muito ultimamente...



E dizendo isso, ele sai da sua sala deixando Hermione ainda com as suas últimas palavras na mente...



XXXXX



Mais tarde



Draco caminha pela Londres trouxa, este é um hábito que ele adquiriu durante a sua doença. A liberdade de andar pelas ruas sem ser reconhecido foi algo que ele descobriu durante os dias amargos do câncer e que ele continua a cultivar sempre que precisa pensar em sua vida



Ele neste momento está pensado se a sua reação com Hermione não foi um pouco descabida, mas na hora que ela falou dos amigos, Draco não conseguiu se conter. Raios! Será que ela sempre vai me ver como aquele garoto da escola? Eu mudei, será que ela não vê que nós crescemos?



O loiro sabe que mais cedo ou mais tarde terá que conversar com Hermione e dizer o quanto a atitude dela lhe incomoda, mas neste exato momento ele não sente vontade alguma de ter qualquer espécie de contato com a mãe do seu filho. A gente estava indo tão bem... Ele diz para si mesmo. Por que ela tem que estragar tudo falando do cicatriz e do pobretão?



Ele sabe que o problema não é quando ela fala dos amigos, ele não é tão imaturo assim. Mesmo não gostando dos dois homens, Draco sabe que eles fazem parte da vida de Hermione e não há meio de que não seja assim, mas será que ela precisa mesmo agir como se eles comandassem a sua vida?



Draco não pode evitar que a feição desesperada dela venha a sua mente ao pensar na hipótese de seus amigos descobrirem. Ele chuta uma lata que surge em seu caminho como se isso pudesse aplacar a sua frustração. Droga, Granger! Por que você tinha que estragar tudo? E neste momento ele se assusta ao constatar que o que está sentindo nada mais é do que ciúmes



XXXXX



Quase ao mesmo tempo



Gina serve uma xícara de chá para a sua amiga. Hermione praticamente invadiu o St Mungus o que deixou a ruiva extremamente preocupada, a sua pressão estava mais alta do que o recomendável para uma mulher grávida e não foi preciso pensar muito para que Gina chegasse à conclusão que aconteceu algo que envolve Draco Malfoy



Ela espera alguns instantes até ver que a sua amiga está mais calma. Gina poderia muito bem perguntar o que aconteceu, mas os anos de convivência com Hermione a ensinaram que a morena precisa ter seu momento, o seu espaço. Então Gina permanece quieta até que Hermione simplesmente resolva falar, o que não demora a acontecer



Ah, Gina... – Hermione suspira, desanimada – cada vez parece que eu estou mais encrencada e tudo que eu queria era ter um filho... - Ela diz enquanto as lágrimas descem



Gina olha para a amiga, ela sabe que não é comum que Hermione chore, então com certeza alguma coisa aconteceu



Ela se senta ao lado de Hermione e diz – me conte o que houve, aí a gente decide se você está encrencada ou não



Hermione então conta tudo, desde a preocupação de Draco com as suas dores nas costas, passando pela massagem, o flagrante do seu chefe até chegar à discussão



Gina ouve a tudo tentando conectar seus neurônios, a ruiva sabe que é uma mulher dotada de uma inteligência razoável, acima da media até. Mas neste momento ela precisa usar de toda a sua massa cinzenta pra entender o que a sua amiga fala atropeladamente



Fale alguma coisa, Gina – Hermione praticamente implora ao ver que a sua amiga continua calada – eu preciso que alguém me diga que eu não fui uma louca por querer tanto um filho, eu preciso que alguém me diga que tudo vai ficar bem



Gina olha para a amiga. Ela sabe que Hermione precisa muito ouvir palavras de incentivo, mas neste momento a ruiva não consegue imaginar uma forma entre o céu e o inferno de que esta história termine bem, ou pelo menos sem algum dos envolvidos se machucar um pouco aqui e ali. Mas Gina sabe que feridas foram feitas para serem curadas, então ela diz – nós vamos dar um jeito em tudo, você vai ver. Você é uma mulher inteligente e vai conseguir contornar este problema



Não me parece que eu ando muito inteligente nos últimos tempos – Hermione sussurra



Ah sim, você é – Gina sorri – só anda um pouquinho emocional demais, coisas dos hormônios



A morena olha para a sua amiga. Ser emocional e hormonal demais é algo que não condiz com a sua personalidade. Ela não pode usar o fato de esperar uma criança como desculpa para deixar sua vida sair dos eixos, então ela se levanta



Obrigada, Gina – ela abraça a amiga – obrigada por me ouvir e desculpe por atrapalhar o seu trabalho. Eu realmente precisava conversar com alguém, mas agora eu preciso ir pra casa, eu quero pensar um pouco



Hermione sai do hospital. Ela vai fazer o que disse para a amiga, ela vai pensar um pouco. Hermione vai pensar em encontrar uma forma de retomar a sua vida



XXXXX



Mais tarde, em sua casa



Listas... Hermione se lembra que logo que aprendeu a escrever um de seus passatempos preferidos era fazer listas, e a menina fazia listas sobre tudo. Os filmes que já havia assistido, suas sobremesas preferidas e até mesmo o nome dos meninos que a perturbavam no parquinho. Era uma forma infantil se distrair e até mesmo de lidar com alguns de seus pequenos problemas



E neste momento ela se encontra totalmente concentrada a frente de um pergaminho com a pena em seus lábios pensando no que fazer para colocar a sua vida nos eixos



São muitas as coisas, ela sabe e ela sabe também que algumas são inviáveis no momento, mas existem duas coisas que não podem deixar de ser feitas. Uma delas é conversar com seus amigos e contar exatamente o papel de Draco Malfoy na história e a outra e se entender com o pai do seu filho e por um breve momento enfrentar Harry e Rony parece mais agradável do que encarar o olhar gélido que Draco Malfoy lhe proporcionou



É claro que Hermione acha que a reação do pai do seu filho foi um tantinho descabida, mas usando o seu lado racional e se colocando no lugar dele, a morena pode perceber que é uma situação desconfortável para ele. Hermione tem que ser sincera e admitir que também não iria gostar se a vida do loiro girasse em torno da opinião dos seus colegas sonserinos e neste momento ela não deixa de pensar que se isso houvesse acontecido talvez ela tivesse este bebê apenas para si como havia planejado desde o início e ela se assusta ao constatar que prefere fazer isso com Draco do que trilhar seu caminho sozinha como era seu desejo



É difícil pra Hermione admitir isso, ela que pensou por meses antes de tomar a decisão de não esperar por um marido e namorado para ter o seu filho, agora se vê admitindo que é bem melhor ter alguém que se preocupe com esta criança tanto quanto ela do que fazer isso por conta própria



É difícil pra ela admitir que se sente mais confortável com Draco Malfoy do que pensou que um dia fosse possível, é difícil pra ela admitir que se sente bem em ser cuidada e neste momento Hermione não pode conter um arrepio ao lembrar da massagem relaxante que ele lhe proporcionou horas atrás



E é mais difícil ainda para ela admitir que está se sentindo culpada pelo que disse a ele horas mais cedo mesmo sem intenção de chateá-lo e neste momento a mente brilhante de Hermione faz uma conexão que a assusta. Ela está gostando da companhia do loiro, se sente mal quando o deixa mal e, diabos, ela está se sentindo atraída por Draco Malfoy!



E neste momento, várias cenas passam pela sua cabeça, como um filme trouxa sendo acelerado. Ela se vê revivendo várias passagens de sua vida na escola onde Draco Malfoy foi um garoto nojento e preconceituoso, e ela se pega perguntando se este garoto ainda está escondido em algum lugar apenas esperando o momento de aflorar. Ela sabe que tem algum resquício deste Draco no interior do pai do seu filho e Hermione só espera que este fato não seja responsável por destruir a linha tênue da relação que construíram



E neste momento ela se vê prometendo para si mesma que fará de tudo para que esta linha não se destrua, ao contrário ela lutará para que ela se fortaleça. Ela deve isso a Draco, a seu filho e a si mesma



E ela se vê dizendo a si mesma que vai tentar consertar as coisas assim que for possível, mas agora ela vai fazer o que deve neste momento, ela vai tomar um relaxante banho e tentar descansar um pouco



E ela teria seguido seus planos religiosamente se não tivesse percebido algo inesperado em sua roupa íntima, algo que fez com que seu pulso acelerasse ao mesmo tempo que seu coração falhasse uma batida. Sangue...





NOTA DA AUTORA



Estou de volta! E vocês podem perceber que bem mais rápido desta vez (estou ouvindo coros de aleluia?) Pode não ter sido tão rápido quanto vocês e eu mesma gostaria, mesmo assim estou muito feliz com este progresso.



Espero que tenham gostado do capítulo, eu sei que está pequeno, mas até que eu consiga postar com mais regularidade, não tenho como fazer capítulos grandes.



Bjos e até o próximo!


Compartilhe!

anúncio

Comentários (3)

Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.