Amor tempestuoso



 


Esse capítulo tem de tudo um pouco. Romance, briga e  humor. Para agradar a todos (hehehe).


Com relação à música incidental, o ritmo animado esconde uma letra que fala muito desses dois. 


Acompanhem com carinho e me digam o que acharam :-*





 


Para ouvir antes, durante ou depois da leitura do capítulo:


Love Me Like You Do


http://bit.ly/2cdVsWm


(Ellie Goulding)


 


 


 


"Amor, quantos caminhos até chegar a um beijo,
que solidão errante até tua companhia!
Seguem os trens sozinhos rodando com a chuva.
Em taltal não amanhece ainda a primavera.
Mas tu e eu, amor meu, estamos juntos,
juntos desde a roupa às raízes,
juntos de outono, de água, de quadris,
até ser só tu, só eu juntos."


(Pablo Neruda)


 


 



 


Foi a semana mais longa da vida de Hermione. Como Ron faria contato daquela vez? Ou não procuraria mais por ela? Acordou um pouco mais tarde que o normal para um dia de sábado e, ao chegar à sala, encontrou um bilhete debaixo da porta. "Espero por você hoje, às 17 horas, no local combinado". Não tinha sequer uma assinatura, mas a garota jamais deixaria de reconhecer a caligrafia de Ron, mesmo quando ele escrevia com letra de forma.


Chegou à lanchonete pontualmente às cinco da tarde. Como da vez anterior, Ron já estava no local, sentado na mesa mais escondida.


— Oi! - ela sorriu feliz ao se aproximar do rapaz, que se levantou para cumprimentá-la com dois beijos no rosto.


— Senta aí, por favor - o sorriso do ruivo era iluminado. - Você ainda está mais linda que da última vez que nos vimos.


— Obrigada. Você também está muito bem. Acho que engordou um pouco - trocar com ele aquele olhar que trazia tanto bem-querer era reconfortante.


Eles se debruçaram sobre o cardápio, que já estava à mesa, para fazer o pedido à garçonete. Cappuccino acompanhado de torradas e geleia foi a escolha dos dois. Enquanto aguardavam a chegada do lanche, Ron aproveitou para reclamar:


— Mione, por que você  propôs da gente se encontrar nessa lanchonete localizada em frente à livraria daquele cara?


— O nome daquele cara, Ron, é Mark. Essa lanchonete é ótima e foi o primeiro lugar que me veio à cabeça quando me pediu para sugerir onde seria o nosso próximo encontro. Tem algum problema aqui?  - ela o olhou com censura.


— Tudo bem. Desde que você não queira ir até a livraria - Ron sorriu.


Sempre com cuidado de falar baixo, para outras pessoas não os escutarem, os dois contaram um pouco de seus respectivas atuações profissionais. "Deve ser bem empolgante atuar como auror", Hermione comentou depois de ouvir sobre alguns casos solucionados por Ron e sua equipe. "Você acha empolgante capturar bruxos mau caráter e gigantes raivosos?", ele sorriu. "Mas foi o trabalho que escolhi, não posso reclamar. Cada vez que prendo um desses feiticeiros tenho a sensação que destruí uma horcrux, entende? Fico com a consciência tranquila ao pensar que, de alguma forma, estou evitando que causem grande dor a uma família, como fizeram com a minha ao matar o Fred", o rapaz ficou momentaneamente sério.


Ron ainda sabia ser divertido e logo tratou de deixar a conversa animada contando situações pitorescas das capturas. Em pouco tempo, os dois já davam gargalhadas. "Nossa, eu não teria esse seu senso de humor com os gigantes. Mas imagino que você não teria um terço da minha paciência com os alunos", a garota constatou. "Todos perderiam pontos ou iriam para detenção caso não se comportassem", ele deu uma risada.


Da janela da lanchonete tinham uma visão privilegiada da livraria de Mark Douglas e puderam ver quando o caminhão de uma transportadora parou em frente ao prédio. Um rapaz entrou na loja levando um carrinho com quatro caixas empilhadas.


— Estão chegando novos livros - Hermione falou ao ver que Ron não parava de olhar para a loja.


Os dois voltaram a conversar, dessa vez sobre o trabalho de Hermione. O bruxo ficou momentaneamente quieto, com os olhos fixos em algum ponto do outro lado da rua. O caminhão já tinha ido embora e a garota pôde ver Mark saindo da livraria. Para a surpresa dos dois, o rapaz alto, magro e elegante entrou na lanchonete. Hermione preferia que o livreiro não os visse, mas sabia que ele era bem observador.


— Hermione! Richard! Que bom ver vocês - Mark os saudou à distância para em seguida caminhar até a mesa ocupada pelos dois.


— Oi, Mark. Tudo bem? - Hermione foi cumprimentada com dois beijos no rosto e Ron com um aperto forte de mão.


— Com vai, cara? - foi a saudação pouco entusiasmada do ruivo.


— Escolheram lanchar aqui para depois passarem na livraria, não é mesmo? Chegou um livro que vai amar, Hermione, tenho certeza disso. E para você, Richard, recebi novas publicações de esporte. Qual era mesmo o nome daquela modalidade que gosta? - Mark era sempre muito simpático.


— Hongdebol! Um esporte que não existe, Mark. Foi só uma tirada bem-humorada de Richard - por pouco ela não se referiu ao rapaz como Ron.


— Engraçado, achei que o nome do esporte era outro - Mark parecia intrigado.


— É hongdebol mesmo, Mark. E Hermione tem razão. Foi uma brincadeira. Peço desculpas por isso - Ron havia se dado conta do risco que correram ao citar o nome do esporte bruxo num estabelecimento trouxa.


Mark voltou a dizer que os aguardava na livraria. Ron deu um sorriso amarelo em resposta, Hermione agradeceu ao convite e falou que provavelmente não iriam daquela vez, pois estavam com um pouco de pressa. "Passem lá, nem que seja rapidamente", ele insistiu. Pouco depois, o livreiro saiu da lanchonete levando um copo com uma bebida quente.


— Você não vai até lá, Mione! Que cara mais sem noção - Ron impacientou-se.


— Qual é o problema, Ron? Eu não estou pensando em ir lá, vim até aqui para me encontrar com você. Mas não gosto quando age de modo autoritário. Agora quer controlar o que posso ou não fazer? - ela reclamou.


— Não é isso, Mione - o ruivo baixou o tom de voz. - Mas ele devia se mancar e perceber que, se estamos sentados nesse canto isolado, é porque queremos ficar sozinhos. Você contou para esse cara que fomos namorados?


— Claro que não contei. Você não falou que precisamos ser discretos? - Hermione também gostava de provocar Ron.


A conversa continuou, dessa vez direcionada ao relacionamento dos dois. Falaram de desentendimentos, reconheceram os próprios erros e imaturidades, perceberam em quais momentos agiram influenciados pelo feitiço do anel.


— Se eu pudesse, mudaria muita coisa na nossa história - a garota lamentava os dois anos que ficara distante do ruivo.


— Eu acho que não mudaria nada. Mesmo se sofremos tanto, agora estamos aqui, juntos, recomeçando a nossa história. Se algo acontecesse de forma diferente, talvez nossa separação fosse definitiva - ele observou.


Hermione sorriu, encantada com as palavras do rapaz, que traziam tanta esperança. A garçonete acabara de retirar as louças do lanche da mesa e eles ainda se decidiam se pediriam ou não um sorvete.


Para surpresa dela, a fisionomia serena do jovem bruxo se transformou. Ele parecia perturbado e, ao olhar para o vidro, que refletia o interior do estabelecimento, Hermione pôde ver Mark de volta à lanchonete. De forma inesperada, Ron segurou-a pelo braço e a puxou para um beijo. Na verdade, aquele foi mais um encontro enérgico de lábios e não um gesto de ternura.


Ela empurrou o rapaz levemente e virou o rosto. Ron, parecendo confuso, se afastou. "Que beijo foi esse? Eu não entendi", Hermione o questionou.


— Desculpa... Não foi muito bom, não é? Acho que estou fora de forma. Preciso praticar mais - ele voltou a sorrir torto.


— Não é isso. Acho que você me beijou apenas para manter o Mark afastado - a garota foi direta mais uma vez.


— Na verdade, eu já queria te beijar. Mas agi por impulso, confesso. Foi a forma que encontrei de dizer ao Mark que você não está disponível para ele - as orelhas do rapaz ficaram vermelhas.


— Essa atitude sua é, no mínimo, infantil. Fui eu que terminei com Mark. Como eu já te disse, nunca gostei de verdade dele - Hermione esperava há muito tempo um beijo de Ron, mas não queria que fosse dessa forma.


A garota ficou alguns segundos perdida, olhando para os lábios do rapaz. "A minha boca está suja de batom?", Ron a questionou.


— Não... - ela se assustou com a pergunta. - Agora que corro o risco de você me roubar um beijo a qualquer momento, uso um batom que não mancha.


— Sério? Interessante isso - ele arqueou as sobrancelhas e deu um dos seus sorrisos irresistíveis.


— Não sei por que a surpresa. Quando a gente namorava, eu sempre... Quer dizer, eu sempre usei batom que não mancha - ela estava ficando constrangida com aquele olhar sedutor do bruxo.


— E nossos beijos sempre foram maravilhosos, não é? Então vamos esquecer esse beijo desajeitado. Agora vai ser da forma certa - Ron falou se aproximando mais uma vez de Hermione.


A bruxa pensou em reclamar ou afastar-se dele. Mas existia um ímã que a atraia para aqueles lábios macios cercados por sardas harmoniosamente distribuídas. Ron e Hermione desejavam redescobrir o sabor de beijar um ao outro. As bocas dos dois se encontraram e se afastaram algumas vezes, sempre de forma suave. O ruivo não parecia querer apenas marcar terreno, como da outra vez, e sim dizer que a amava e sentia falta dela.


Quando finalmente se desprendeu dos lábios de Hermione, Ron repousou a testa dele na testa da garota. O rapaz sorria levemente e a sua expressão era de grande paz. Ela estava um pouco agitada, o coração batendo descompassado. Depois de tanto tempo, o sentimento pelo ruivo não havia mudado, ou melhor, era ainda mais intenso. Afastou-se para olhar o bruxo nos olhos, esperando ouvir palavras apaixonadas.


— Agora foi melhor - ele sorriu de forma contida. - Mas podemos nos aperfeiçoar ainda mais.


— Ron, isso está ficando muito confuso. Você não falou sobre o sentimento que ainda tem por mim. Eu não saio por aí beijando ou sendo beijada por amigos. E você sequer mencionou a possibilidade da gente voltar a namorar  - ela não tinha planejado dizer tais palavras, mas não podia perder aquela oportunidade.


— Infelizmente, Mione, não dá para pensar em namoro. Pelo menos não da forma... da forma convencional, vamos dizer assim. Mal podemos estar juntos e devemos nos encontrar por períodos curtos e em locais frequentados apenas por trouxas. Não dá para namorar assim, concorda? Mas isso não quer dizer que o sentimento que tenho por você mudou - Ron a olhava com especial interesse.


— Que sentimento, Ron? Você não fala desse sentimento - Hermione precisava de uma declaração de amor.


— O sentimento que tenho desde sempre. Eu sou apaixonado por você. Sempre fui. Cheguei a pensar que isso tinha acabado, que o amor havia se transformado em ressentimento. Mas agora que a gente se reencontrou, descobri que o que parecia impossível aconteceu. Eu te amo mais do que quando você terminou comigo, há mais de dois anos... - ele deu um leve sorriso, cheio de ternura.


Hermione sentiu o coração bater feliz. Com tinha esperado por essas palavras! Não pensou duas vezes. Seguiu o seu impulso de jovem apaixonada e, aproximando-se lenta e decididamente, tomou a iniciativa de colar seus lábios aos do ruivo.


Sim, o beijo foi ainda melhor que o primeiro. Hermione ficou de novo surpresa ao ver como os lábios dos dois se encaixavam com tanta perfeição. Eram feitos mesmo um para o outro. E aquela sensação mágica que experimentava jamais sentira com Krum e com nenhum dos outros dois namorados. Apenas Ron a fazia flutuar assim.


— É uma situação temporária, Hermione. Tenha um pouco de paciência - Ron disse de forma carinhosa assim que seus lábios se descolaram. - Como eu já falei, tenho razões para achar que alguém ou alguma força nos quer separados. Enquanto não consigo confirmar isso, o melhor seria a gente nem se encontrar. Mas o melhor não é possível. Não quero correr o risco de te perder novamente. Ainda mais com esse tal de Mark rondando por aí. Agora ele vai entrar em contato com você toda semana para dizer que chegou um livro novo.


— Até parece, Ron. Já falei que eu e Mark não temos mais contato. Só nos vimos agora porque você marcou nosso encontro na livraria dele. Aliás, eu não estou mais tão interessada em livros trouxas - ela cruzou os braços.


— Ele sabe que você é bruxa? - Ron tinha um olhar interrogativo.


— Mark não sabe. Pensei em contar e falei com ele sobre bruxaria, mas vi que não acredita. Acha que a bruxaria é um conjunto de mitologias baseadas em culturas ancestrais e que os feiticeiros manipulavam elementos da natureza para fazer medicamentos - Hermione simplificou aquele aspecto tão importante do relacionamento dos dois.


— Que pensamento estranho... Mas se você gostasse dele de verdade, teria contado que é uma bruxa - Ron foi assertivo.


— É, você tem razão. Eu não gostava. E descobri a tempo que era melhor ficar sozinha, que ninguém podia preencher um lugar que já era ocupado no meu coração - ela encarou aqueles olhos azuis sem medo.


 


 


 


* * * * * * * * * *


 


 


 


O mês de janeiro chegou trazendo um acontecimento especial. Stephanie, uma das primas de Hermione, dois anos mais velha que ela, iria se casar. A cerimônia seguida de festa seria na França. A bruxa não perdoaria Ron caso ele não comparecesse.


Estava um pouco apreensiva já que não tinha acompanhado Ron no aluguel do terno para o casamento. Ela deu muitas recomendações ao rapaz, indicando a loja em Londres e como deveria ser o modelo. Sempre que voltava a tocar no assunto, o ruivo dizia para não se preocupar, que estava tudo resolvido.


Como só chegou à França naquela manhã e logo teria que ir ao salão de beleza, precisava deixar essa preocupação de lado. Não fazia parte da vida de Hermione a rotina de frequentar um salão. Preferia usar magia sempre que precisava se arrumar. Dessa vez, porém, não tinha como escapar. A sra. Granger já havia marcado horário para a filha e não aceitaria uma desistência. O ruivo viajaria no final da tarde e encontraria com ela um pouco antes do início da cerimônia.


Esperava que tudo transcorresse bem durante a festa. Sempre que estavam juntos, ela e Ron costumavam brigar. Mas bastava ficar um tempo distante do ruivo para Hermione sentir-se completamente apaixonada por ele. Os dois se viam muito pouco desde que ela voltara a Hogwarts e a menina estava morrendo de saudades do namorado.


Tinha marcado com Ron às 19h30 na praça lateral à igreja. O casamento seria às 20h e queria ter um tempo a sós com ele antes de seguir para a cerimônia. Acabou se atrasando quinze minutos. Estava chateada porque fazia questão de ser pontual. Uma das coisas que a impacientava nos salões era aquela inexplicável demora. Utilizando a magia, conseguia ser muito mais rápida.


A garota sentia-se bonita naquele vestido vinho ajustado ao corpo até a cintura, com saia sereia, completado por um corpete de renda de manga comprida. Os cabelos estavam presos de um lado só e a maquiagem feita por profissional realçava seus traços suaves e os lábios finos e bem desenhados. Deu um suspiro ao imaginar o olhar de encantamento que receberia do namorado.


Ao chegar à praça, não teve dificuldade em encontrar o ruivo. Ele chamava mais atenção do que Hermione gostaria.


— Ron! Você enlouqueceu?! - a jovem caminhava apressada em direção ao rapaz e tinha uma expressão assombrada no rosto.


— Oi. Tudo bem? Você está linda! Mais que isso. Maravilhosa... - ele ficou tão embevecido que demorou a notar a expressão zangada de Hermione. - Que cara é essa? Achei que tinha sentido saudade e me receberia com mais entusiasmo.


— Sim, eu senti saudade, mas... Que roupa é essa, Ron? Em que loja alugou isso?! - ela realmente parecia perturbada.


— Er... Não está bom? - Ron ficou constrangido.


— Claro que não está bom! Onde já se viu usar um fraque branco com gravata borboleta vermelha e flor vermelha na lapela? O noivo, no máximo, poderia usar uma roupa chamativa dessas. Você tinha que vestir algo mais discreto! - Hermione falava velozmente e de forma estridente, demonstrando todo o seu nervosismo.


— Calma, Mione. Vi outro cara de branco, achei a roupa elegante, mas não simpatizei muito com a gravata branca que ele usava. Preferi a vermelha. Como parece que você não gostou, posso fazer mais alguns ajustes com a varinha e.... - Ron mais uma vez foi ingênuo, parecendo desconhecer a fúria da namorada.


— Fazer mais alguns ajustes? Já fez isso antes?! Deixa eu ver como era esse seu traje originalmente - Hermione foi rápida e, com um floreio de varinha, reverteu o feitiço.


A menina deixou escapar uma gargalhada mordaz ao ver Ron vestido com o fraque roxo quadriculado de laranja. Não sabia se ria de nervoso ou de diversão. Com certeza, ao transformar aquele fraque de tons excêntricos em um branco, Ron havia se inspirado no noivo, que chegara com bastante antecedência à igreja e era o único que vestia uma roupa daquela cor.


— De onde tirou essa roupa espalhafatosa?! E esse sapato de palhaço?! Você está ridículo, Ron! Herdou esse fraque do seu tio Abílio? Você não foi à loja que te indiquei!!! - Hermione estava com o rosto tão vermelho que dava a impressão que iria explodir.


— Eu... eu fui lá sim, mas estava fechada e... - ele tentava se justificar, mesmo sabendo que seria inútil.


— Estava fechada?! Quando e a que horas você foi lá?! - Hermione não pararia de fazer perguntas até que tivesse todas as respostas.


— Mione, eu não tive muito tempo. O trabalho na Gemialidades Weasley está muito exigente e... - ele tentou amenizar a própria culpa.


— Responda a minha pergunta, Ron! Quando e a que horas você foi à loja que indiquei?! - ela o fulminava com o olhar.


— Ontem... Um pouquinho depois das seis da tarde... - o rapaz tinha a voz baixa e não conseguia encarar a namorada.


— O quê?! ONTEM?!!! Eu falei com você há um mês para ir à loja, não deixar para a última hora, e você fez exatamente tudo que pedi para não fazer! É realmente comovente a sua consideração comigo! Onde você arranjou essa roupa horrorosa?! - Hermione sabia ser cruel.


— Tinha uma loja um pouco depois daquela que indicou. Não havia muitas opções. Acho que era de roupas... - ele tentava explicar.


—De fantasia?! Ou de roupas que vão para fogueira?! - a namorada estava cada vez mais nervosa.


— Acho que eram roupas de segunda mão, mas todas pareciam novas. Sem falar que os preços eram bem em conta. Achei essa aqui legal. Só fiquei um pouco em dúvida por conta da cor - disse olhando para o próprio traje.


— Legal?!!! Esse fraque é horrível!!! Muito pior que aquela roupa que você usou no Baile de Inverno - Hermione talvez estivesse exagerando, mas sentia muita raiva do descaso do rapaz que, naquela noite, seria apresentado oficialmente a sua família.


— Hermione, se estou tão ridículo assim, vou embora. Não quero fazer você passar vergonha - Ron estava triste com a reação da namorada.


— Não precisa - Hermione finalmente baixou a voz. - Eu posso consertar essa roupa.


Com um floreia de varinha, a bruxa transformou o fraque em um terno cinza, a gravata abóbora ganhou tom azul, a camisa social roxa ficou branca e, depois de se concentrar, conseguiu também mudar a cor e modelo do sapato. Ficou tudo perfeito. Aliás, dificilmente uma magia de Hermione não sairia assim. "Pronto, Ron. Agora está bem. Vamos que o casamento já está para começar e não quero chegar depois da noiva".


No momento que entravam na igreja onde seria a cerimônia, Hermione olhou para o rapaz com um jeito severo. "Ron, eu não perdoei o seu deslize e descaso. Simplesmente decidi dar uma trégua. Seria complicado demais explicar para minha família que não estou falando com meu namorado porque ele é um idiota. Vamos conversar apenas o extremamente necessário. Portanto, evite me dirigir a  palavra". Ela disse tudo isso com aquele tom "professoral" de quem detêm a verdade, algo que Ron detestava.


— Poxa, Hermione, me desculpa, vai? Tudo bem que dei um vacilo, mas já estou suficientemente arrependido - o ruivo tentou uma reconciliação.


— Não, Ron. Eu não vou te desculpar. Não consigo. Pelo menos não agora. Você mostrou que não tem consideração alguma comigo - ela não voltaria atrás tão cedo.


Os dois sentaram lado a lado na igreja. A garota permanecia quieta. Ele, ao contrário, fazia vários comentários. Elogiou a música da cerimônia, a elegância dos pais da namorada, a beleza da noiva (nesse momento fez questão de dizer que Hermione ficaria ainda mais linda quando chegasse o grande dia deles), a decoração do local. Nada quebrou o gelo da jovem bruxa.


 


 


* * * * * * * * * * * * 


 


Aparatei! Espero que tenham curtido bastante esse momento romântico da lanchonete. Releiam se gostaram porque os próximos capítulos nos reservam um longo período de abstinência de beijos (pelo menos no presente).


Não me queiram mal. A história de amor desses dois é uma montanha-russa de emoções *_* 


Em tempo: Comentários me motivam a postar mais rapidinho!


Compartilhe!

anúncio

Comentários (3)

  • Morgana Lisbeth

    Oi, Ãaana! Feliz por receber agora por aqui um comentário seu (obrigada por encher meu twitter de mensagens fofas)!Hermione não é boba nem nada! Como deixaria que um batom que borra atrapalhasse o seu objetivo? O ruivo falou palavras lindas, né? Do jeitinho que Mione gosta!Clarinha, não me julgue mal. Não é culpa minha se d‘agora em diante vão faltar beijos.. é que...shhhhh, silêncio, não posso dar spolier! Mas vou adiantar que, a partir do próximo capítulo, a história vai ficar movimentada com a chegada de novos personagens! O que achou do flashback? Ron com aquele fraque rídiculo... kkkkk Mione super gata com um vestido vinho... E o casamento da prima de Mione está apenas começando, vem mais emoção por aí. Beijos! 

    2016-09-07
  • Ana Clara Molina Ramos

    Palavras lindas....do jeitinho que todas nós adoramos!! Queria spoiler e tive o da chegada de novos personagens.....Meu Merlin! Agora estou mais ansiosa. Essse flashback.....ai ai......o fraque.....ela brava.....típico do casal! Ai!!!! Esse casamento!!!!!!! #QueroOPróximoEOPróximo

    2016-09-07
  • Ana Clara Molina Ramos

    Eles estão engatando mesmo na parte pré- namoro oficial mesmo que não precisem disso, né? Na verdade sim, eles precisam. Porque precisam se entender. Batom que não mancha? Isso siginifica: intenção de beijar muito! Ai ai...Hermione! Esse segundo beijo do capitulo foi lindo! Aí vem a Morgana e fala de período de abstinência! Você oferece um pedaço e tira o bolo todo! kkkkk Ai ai....quero mais um capitulo....e mais outro....e outro logo. Por Favor!!!!

    2016-09-06
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.