Plano Potter em ação






Dedico esse capítulo a uma pessoa especial, minha tia Lisete. Ela não sabia que eu escrevo fanfiction. Agora, em outra dimensão, já conhece esse meu segredo e tantos mais.


 


Aos leitores: Obrigada pelos comentários que fazem eu não me sentir sozinha nessa empreitada de escrever e partilhar uma long fic. Para os que sentiram falta de Harry, eis que o Menino que Sobreviveu finalmente faz uma participação maior na história. Este capítulo não tem flashback (volto nas notas finais).


 


 


 


Fazia um mês que Hermione havia se mudado para a Inglaterra. Voltara a morar com os pais e tinha tanto a conversar e muito a aproveitar da companhia dos dois. Afinal, passara grande parte de sua vida distante deles. Ainda assim, a sua felicidade não era completa.


Ainda lembrava-se do jantar de despedida do Canadá organizado por Isobel. Algumas professoras, a diretora da escola, Silvana Baumgard, e uma única aluna, Bárbara, acompanhada pela avó, Constance Murdock, foram reunidas naquela noite de lua cheia. Viveram momentos agradáveis e Hermione já estava saudosa do país no qual fizera tantas conquistas.


— Vou sentir muita falta das suas aulas, professora Hermione. Mas acho que tomou a melhor decisão. Sei que está indo atrás do seu amor – a jovem aluna sorriu.


— Ah, sim. Eu e Ron... – ela ficou sem graça. – Bem, acho que tudo vai dar certo. Não vamos perder contato, Bárbara. Espero sua visita qualquer hora dessas em Londres.


Hermione também teve a oportunidade de conversar um pouco com Madame Murdock e ouviu dela um conselho que a princípio não entendeu. “Bruxos não esperam que aquilo que amam chegue até as suas mãos. Eles convocam o que desejam e lutam por seus sonhos. Continue a fazer assim. Mesmo quando o objeto amado parece fugir de nossas mãos, se ainda o desejamos, não devemos desistir”.


Naquele mês que estava em Londres, recebera apenas alguns breves bilhetes de Ron. Harry vinha atuando como portador dos pergaminhos e de algumas notícias do ruivo. Era sempre econômico com as palavras, limitando-se a dizer que o amigo estava bem. Por isso ela não esperava muito daquela visita vespertina de Potter à sua casa. 


— Eu tenho uma novidade para te contar, mas não pode ser aqui. Você consegue ir às 19h30 na minha casa? – ele convidou. 


As surpresas estavam apenas começando. Na presença de Gina, o amigo explicou o passo a passo de um surpreendente plano. “Você vai precisar tomar a poção polissuco para se transformar na Gina”, Harry anunciou. 


— Qual foi? Depois de ter sido Belatriz, não deve ser tão ruim assim assumir o meu visual – Gina a provocou ao ver a cara de espanto de Hermione. 


A inteligente bruxa ficou surpresa ao saber que Harry fizera a poção com tanta rapidez. “Venho realizando alguns testes e consegui reduzir o tempo de preparo de um mês para 15 dias. Mas isso ainda é um experimento e a transformação dura no máximo 45 minutos”, o amigo contou.


Ela queria mais explicações sobre o plano, porém Harry se recusava a falar muito. “É uma questão de segurança. Eu e você, transformada em Gina, iremos À Toca pela Rede de Pó de Flu. Gina vai ficar aqui, mas também vai tomar a poção polissuco e passará a ser você”, ele informou, dizendo que não tinha sido difícil conseguir um fio de cabelo das ainda volumosas madeixas da amiga.


— Está achando que a Rede de Pó de Flu pode estar sendo vigiada, não é mesmo? Mas se alguém vier aqui? Não será estranho encontrar apenas a Hermione em sua casa? – a jovem questionou. 


— Você pode ter vindo aqui consultar algum livro de magia – sugeriu Gina. 


— Sim, não seria nada mal. A biblioteca de vocês tem livros fabulosos. Mas, afinal, o que vou fazer n’A Toca? – Hermione finalmente perguntou.  


— Não posso te contar. Logo você vai saber – Harry estava mais misterioso do que nunca. 


O plano dos Potter foi seguido à risca. Transformada em Gina, após ingerir a poção polissuco, Hermione chegou À Toca. Ao entrarem na lareira, Harry anunciou: “Ninguém pode saber sua verdadeira identidade”. Agora a situação tornara-se mais constrangedora ainda. Mas ela sempre confiara no amigo. Não seria diferente agora. 


— Chegaram em ótima hora. Já estou colocando a mesa do jantar – Molly falou depois que se desprendeu do abraço apertado na “filha”. 


— Nós vamos antes lá em cima, Molly. Temos algo importante a fazer – Harry anunciou. 


— Tudo bem, mas não demorem – a matriarca dos Weasley pediu. 


Enquanto subiam as escadas, Hermione esbarrou em Arthur. Ganhou um beijo afetuoso do bruxo, que acreditava que aquela era a sua amada filha caçula. 


— Harry, isso aqui não está legal. Sinto-me mal por estar enganando Molly e Arthur – ela confessou. 


— Não se preocupe que não vai passar por outra situação constrangedora assim. Eu sei que você é Hermione – ele deu uma risada. 


— Ainda bem – o riso dela era nervoso. 


Com surpresa, Hermione viu que estavam de frente para o quarto de Ron. “Agora a gente se despede”, Harry anunciou. “O quê?!”, ela estava perplexa. 


— O motivo de você ter vindo aqui está aí, atrás dessa porta. Quando terminar a conversa, bata na porta do quarto de Gina. Eu estarei lá – Harry virou-se rapidamente e começou a descer as escadas. 


Ela não teve tempo de fazer qualquer pergunta. Com um frio na barriga, Hermione bateu suavemente na porta do quarto de Ron. “Pode entrar”, a voz da pessoa que mais amava no mundo respondeu. 


Ron estava de pé, com as mãos enfiadas nos bolsos da calça. O bruxo franziu os olhos e entortou levemente o rosto, demonstrando o seu espanto ao ver Gina em sua frente. 


— Você não sabe quem eu sou, não é? Pelo visto Harry não compartilhou o plano dele com ninguém – ela estava constrangida. 


— Pela aparência, você é a chata da minha irmã. Mas a sua  entonação de voz está igual a de Hermione – Ron se aproximou da figura de cabelos ruivos como os dele. 


— Já deve ter ouvido falar em poção polissuco, não é? Pois é. Ela realmente funciona – Gina-Hermione sorriu. 


— Que situação estranha... Eu pedi para Harry trazer você em segredo aqui, mas não imaginei que o plano mirabolante dele era transformá-la em Gina. Não sei se vou conseguir dizer o que preciso olhando nos olhos da minha irmã, entende? Preferia olhar nos olhos de Hermione – ele foi sincero. 


— Também não estou me sentindo nada bem com a aparência de Gina. Sua mãe e seu pai me cumprimentaram com tanto entusiasmo... Senti-me mal enganando a eles... – Hermione afirmou. 


— Tudo bem. Vou tentar ficar concentrado para não esquecer que você é Hermione. A nossa conversa precisa ser rápida mesmo – Ron começou. 


O rapaz foi objetivo e disse que não poderiam se ver nos próximos dois meses. Ele explicou que estaria envolvido numa complexa e perigosa missão. “Vou precisar ficar totalmente focado nisso, sem falar que ainda é muito arriscado nos encontrarmos”, justificou.


— Mas você vai ficar na Romênia? Posso te visitar lá. Se eu usar a poção polissuco... - Hermione sugeriu já acostumada a ser ela a tomar iniciativa para ficar próxima do rapaz que amava.  


— Impossível, Hermione. Estou arrasado com isso, mas não poderemos nos encontrar. Qualquer deslize e a missão fracassa. Stefan está me confiando uma tarefa difícil e de grande risco – Ron parecia preocupado. 


— Não vai me falar que missão é essa, vai? Por acaso está atrás de novas provas para prender o bruxo que, conforme acredita Stefan, quer nos ver separados? – com a aparência de Gina aquela fala tornava-se ainda mais dura. 


— Sei que não acredita que existem forças querendo que a gente permaneça separado. Também tenho minhas dúvidas, mas sempre confiei no Stefan e pretendo continuar confiando. Mas está certa quando diz que não vou falar da missão. Na verdade, não posso falar com ninguém sobre isso. Nem mesmo com você – o bruxo suspirou. 


— Lamento por você não confiar em mim – a jovem parecia decepcionada. 


— Confio mais em você do que em mim mesmo. Mas não quero que corra um risco desnecessário. Quando for possível falar, você será a primeira pessoa a saber de tudo – Ron garantiu. 


— Mas se a missão estiver relacionada a nós dois, eu posso ajudar. Sou muito boa em feitiços e, sem falsa modéstia, tenho grande capacidade para encontrar pistas e traçar planos... Além disso, sou também discreta e... 


— Hermione! Eu conheço todas as suas muitas qualidades – Ron não deixou a ex-namorada concluir a frase. – Sei o quanto é brilhante. A bruxa mais brilhante que conheço. Mas você não é auror. E esse é um trabalho para um auror. 


— Então, resumindo, você vai ficar os próximos dois meses sem me procurar para participar de uma missão que não pode me dizer qual é, mas eu não tenho permissão para te visitar e estou proibida de te ajudar! Devo fingir que nunca fomos namorados, ou melhor, agir como se fôssemos completos desconhecidos? Cometi um erro ao te procurar na Romênia. Devíamos continuar distantes um do outro já que é isso que você quer –  Hermione estava magoada. 


— Não, Hermione, não diga isso. Não foi um erro – ele garantiu. 


— Se não foi um erro por que continuamos tão distantes assim? Antes de você perder parcialmente a memória, tínhamos começado a nos reaproximar. Mas parece que você esqueceu tudo que aconteceu, das palavras que me disse – a jovem sentia-se cansada com a longa demora. 


— Para mim também está sendo muito difícil. Não quero ficar distante de você... - aqueles olhos azuis escondiam mistérios e enigmas que ela não conseguia decifrar.


— Já estamos distantes, Ron! Não podemos nos encontrar como qualquer casal... qualquer casal de amigos, melhor dizendo, que querem trocar ideias, estar juntos, se divertir. Nos vemos raramente, muitas vezes disfarçados, sempre falando baixo, preocupados... Não temos autorização nem mesmo para nos correspondermos regularmente. Como é possível nos relacionarmos assim? – a voz dela ficara estridente. 


—Isso logo vai terminar. E nós dois vamos poder nos encontrar como qualquer casal de amigos, ok? Agora eu só preciso que você confie em mim e tenha um pouco mais de paciência - o jovem auror pediu. 


O ruivo despediu-se de Hermione com um beijo no alto da cabeça. Cumprimento mais fraternal não existia. Mas a garota não suportava ser tratada como irmã. E nem mesmo como amiga. Queria o seu namorado de volta!  


A bruxa seguiu até a casa de Harry ainda mais silenciosa que o normal. O amigo a conhecia o suficiente para saber que não devia fazer perguntas. Mas Gina não tem o mesmo tato e a interroga com simplicidade: “Como foi com Ron? Deu para matar um pouco da saudade?” Essas poucas palavras fizeram Hermione desabar. 


— O que Ron fez agora? Foi um legume insensível mais uma vez? – Gina ficou perplexa ao ver as grossas lágrimas que desciam pelo rosto da amiga.


Harry pediu licença e disse que iria tomar um banho. Hermione sabia que era uma desculpa para deixá-las sozinha.


— Eu e Ron ficamos distantes por muito tempo. Depois de procurá-lo na Romênia para esclarecer tantos maus entendidos, acreditei que seria diferente – Hermione fungou discretamente e começou a secar as lágrimas.


— Mas o que aconteceu, afinal? Vocês não me contam nada. Parece até que estão numa nova missão em busca de horcruxes. Harry também se recusa a dizer o que está acontecendo entre vocês dois. E sou a pessoa que mais torce para voltarem a namorar! - a ruiva queixou-se.


— Não posso contar, o seu irmão me pediu segredo. Bem, não posso te contar tudo, mas alguma coisa vou dizer sim – Hermione considerava Gina sua melhor amiga. Haviam se distanciado um pouco nesses dois anos por causa da ruptura do relacionamento dela com Ron, mas confiava plenamente naquela ruiva decidida e sagaz. 


— Quem sabe eu posso ajudar, não é? Não sou uma conselheira sentimental tão ruim assim – Gina sorriu.


— Você lembra daquele anel que Ron me deu assim que terminou a Batalha de Hogwarts? Na verdade, era um par de anéis com propriedades mágicas. As pedras tinham um brilho especial e simbolizavam o sentimento que tínhamos um pelo outro... - Hermione foi interrompida. 


— O sentimento que tinham ou ainda têm um pelo outro? – Gina recordou. 


— Já não sei mais o que dizer do sentimento de Ron por mim. Sei que ainda sou apaixonada por ele, mais apaixonada do que sempre fui – Hermione abriu o coração.


— Voltando a falar do anel, eu sei que você o perdeu na Austrália. Ron ficou tão arrasado com isso... – Gina recordou.


— Aquele anel foi enfeitiçado, Gina. Por isso nosso relacionamento nunca deu certo, mesmo se nos amávamos. O anel foi encontrado e o feitiço revertido. Fui procurá-lo na Romênia depois disso - não era fácil falar daquele assunto.


— Se não existe mais feitiço e você continua amando Ron, por que ainda não estão juntos? Porque sei que ele nunca deixou de amar você - Gina sempre dizia o que pensava por mais constrangedor que isso fosse. 


— Ron sofreu uma série de ataques. Para ser mais precisa, três ataques, sendo que o último foi bem grave. O chefe dos aurores da Romênia acha que alguém ou alguma força deseja nos ver definitivamente separados. Eu não acredito nisso, mas o seu irmão parece acreditar. Está evitando encontrar comigo. Diz que é para me proteger. Nunca precisei disso, Gina. Sempre soube usar a magia para me defender – Hermione respirava profundamente, a voz variava de tom; não conseguia esconder toda a sua emoção.


— Mas não rolou nada, nem mesmo um beijo? - a ruiva deu um sorrisinho. 


— Gina! Se estivesse tudo bem eu não estaria arrasada assim, não é mesmo? - Hermione protestou.   


— A minha pergunta faz todo sentido, Mione. Você sabe melhor do que eu que Ron se expressa mais com gestos do que com palavras. Afinal, vocês se beijaram ou não? - a ruiva insistiu.


— Sim, nós nos beijamos. E sim, foi muito bom. Quer dizer, o primeiro beijo não muito, mas...   


— O primeiro?! Uau. Quantas vezes vocês já se beijaram depois que se encontraram na Romênia? Perdeu as contas? - a ruiva sempre a deixava constrangida. 


— Não, infelizmente não. Se eu não considerar o selinho e nem o beijo desajeitado que ele me deu na cafeteria... Bem, foram só dois beijos. Mas dois beijos maravilhosos – ela suspirou por um momento.


— E depois desses dois beijos maravilhosos meu irmão simplesmente se afastou de você? O que ele queria hoje? - Gina acabaria sendo repórter. Sempre fazia as perguntas certas.


— Não foi bem assim. Durante o último ataque, Ron sofreu uma amnésia parcial. Ainda não recuperou todas as lembranças e esqueceu tudo o que aconteceu depois do nosso segundo encontro. Ele só recorda de quando fui procurá-lo pela primeira vez e da visita que fez ao hotel onde eu estava hospedada na manhã seguinte. Não se lembra do que veio depois, da declaração de amor que me fez, dos beijos que trocamos... - Hermione estava muito aflita. 


— Que estranho. Ron esqueceu mesmo de tudo? Pode não se lembrar das declarações que te fez, dos beijos que trocaram. Mas com certeza não se esqueceu do sentimento que tem por você - ela foi firme, mostrando toda a sua convicção.


— Já não tenho mais certeza de nada. Hoje ele quis encontrar comigo para dizer que vai ficar dois meses sem dar notícias. Falou que está envolvido numa missão perigosa, mas não quis me contar mais nada – Hermione voltou a respirar profundamente.


— O trabalho de auror é assim mesmo. Harry vive se envolvendo em missões complicadas, fica muito tempo sem dar notícias. Quer dizer, nunca por tanto tempo. Mas Ron mora num outro país, parece que a situação com os gigantes está complicada lá na Romênia - a jovem senhora Potter parecia queria amenizar a dor da amiga.   


— Sei não, Gina. Ele esconde alguma coisa. Sinto que não confia em mim – Hermione estava bem para baixo.


— Tenho certeza que Ron confia plenamente em você, Mione! Pode até estar escondendo algo. Talvez não tenha alternativa. Meu irmão sempre foi louco por você. Por muito tempo achou que não merecia alguém tão especial assim. Quando finalmente enxergou que era correspondido e teve coragem de investir nesse amor, encontrou uma série de dificuldades da sua parte. Agora sabemos que foi por causa do feitiço. Mas como ele sofreu! Esses dois anos que passou isolado na Romênia foram terríveis para Ron - Gina defendeu.


Enquanto Ron e Hermione foram apenas amigos e o rapaz demorava a entender o sentimento que tinha pela menina e a se manifestar abertamente, Gina esteve do lado dela. No período de namoro, porém, apoiou as atitudes do irmão e não entendia porque ela vivia desmanchando com o rapaz. Por isso Mione se afastou da ruiva, já que ficava magoada com alguns comentários dela, especialmente quando falava de outras garotas. Será que queria provocá-la, despertando o ciúme e motivando a reconciliação?   


— Não ficou tão isolado assim, Gina. Com certeza teve muitos relacionamentos para acabar com a solidão. Uma dessas pessoas, inclusive, esteve com ele no seu casamento. E ficaram juntos por quase um ano! - sim, Hermione morria de ciúmes do rapaz com Marian.


— Nada sério. Saiu com algumas meninas. E nunca gostou de Marian. Isso ele mesmo me falou. Queria simplesmente esquecer de você - a ruiva foi firme.  


Hermione abriu um meio sorriso antes de dizer que esperava que Ron não a tivesse esquecido. Gina deu um forte abraço na amiga para em seguida afirmar com entusiasmo: "Mione, você está destinada a ser minha cunhada favorita, mãe de meus mais adoráveis sobrinhos". 


  


   


  


* * * * * * * * * * * * * * *


 


Para ouvir antes, durante ou depois de ler o capítulo:


Jar of Love


http://bit.ly/2dpRmtP


(Wanting)


Another sunrise, another sunset
Soon it‘ll all be yesterday
Another good day, another bad day
What did you do today?
Why do we choose to chase what we‘ll lose?
What you want isn‘t what you have
What you have may not be yours to keep 


If I could find love, at a stop, in a park
with open arms
I would save all my love, in a jar, made of sparks
sealed in my beating hearts
Could it be yours to keep, the Jar of Love 


Another left turn, another head turns
Could he be someone I deserve?
Another right turn, another lesson learned
Never leave an open flame to burn
Why do we choose to chase what we‘ll lose?
What you want isn‘t what you have
What you have may not be yours to keep 


If I could find love, at a stop, in a park
with open arms
I would save all my love, in a jar, made of sparks
sealed in my beating hearts
Could it be yours to keep, the Jar of Love 


Could you be my love?
Could you be my love?
Could you be my love?
Could you be my lo-o-o-ve?
(…)



 


Espero que não tenham me odiado por Ron anunciar, depois de um mês sem encontrar pessoalmente com Hermione, que eles vão precisar ficar mais dois meses sem se ver! Não tenho culpa. Estou seguindo a história que minha bola de cristal vem me mostrando... Aos que não desistirem, volto até terça com um novo capítulo.
Beijos :*

P.S: O que estão achando das músicais incidentais? Escolhi as que embalaram a minha escrita.

 

Compartilhe!

anúncio

Comentários (3)

  • Morgana Lisbeth

    Lehleh, ainda bem que você se despediu com um beijo... Dps de me ameaçar com Avada Kedavra e Ron com um Cruciatos,  fiquei com medo de você!!! Sabia que ficaria feliz com a aparição do senhor e da senhora Potter. Mesmo se não são os protagonistas, eles vão fazer novas participações especiais! Oi, Ana! Hermione está seguindo à risca o conselho de Madame Murdock e continua lutando pelo amor de Ron. E ela é uma bruxa poderosa! *_* Os Potter são ótimos mesmo <3 Uma boa notícia para você: o flashback volta no próximo capítulo! Beijos  

    2016-09-26
  • Ana Clara Molina Ramos

    Adorei o novo do capitulo de cara *-* E essa frase: “Bruxos não esperam que aquilo que amam chegue até as suas mãos. Eles convocam o que desejam e lutam por seus sonhos. Continue a fazer assim. Mesmo quando o objeto amado parece fugir de nossas mãos, se ainda o desejamos, não devemos desistir”.*-* *-* Os Potters.........adoro eles gente! Por Merlin! DOIS MESES? Meu Merlin......muito tempo! Ah, tadinha da Mione (e do Ron também, ele também tá sofrendo )!!!! Quando as coisas começam a dar certo......coisas assim acontecem! : / Tô com um pouco de saudades dos flashbacks! E totalmente ansiosa por mais capitulos!!!!!!!! Eles tiveram um momento fofo hoje, mas doloroso. Quero muitos momentos fofos que me fazem suspirar, okay? Obrigada pelo capitulo de hoje *-* Quero outro já...........

    2016-09-24
  • lehleh potter

    dois meses? você esta louca? vou jogar um Kedavra em você, é melhor desviar! Onde já se viu, os meus amores distantes um do outro gente, que é isso, querem me matar do coração. Harry meu amor, você deu as caras finalmente, estava te esperando a tempos, Gina sua linda, continue fazendo perguntas constrangedoras, assim você esclarece tudo para mim e desperta mais ainda a curiosidade da Hermione. Esse Rony tá muito misterioso para o meu gosto, vou jogar um Crucio nele rapidinho, só para ele sentir uma pontadinha de dor (vou esgotar minha cota de maldições imperdoaveis), é melhor esses dois meses passarem rapidinho, e o meu proximo capitulo tem que chegar rapidinho tambem, se não eu viro uma comensal e assim eu tenho um cota infinita de maldições imperdoaveis, aguardando ansiosamente, beijos.

    2016-09-24
Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.