Mirror

Hei, Potter, hoje é dia 24 de Setembro, e uma manhã linda de outono pode ser vista da janela.



Me lembro de Hogwarts no inverno, você adorava aquela época.



A água cobre meu corpo e despe o que eu chamo de “A grande Tristeza” desde que você se foi.



Ao trançar meus braços entre o tronco, reencontro a sensação do seu abraço, de quando me sentia ferver apenas com o toque de suas mãos sobre a minha pele nua.



Ilusão.



Você não está mais aqui.



Com a toalha enrolada na cintura a fim de cobrir a minha vergonha, vejo meu reflexo.



Memórias.



Eu nunca quis te fazer sangrar, desculpe.



Meus olhos pesam, e a culpa me consome. Mas, eu serei bom.



Algum dia.



Prometo amar o mundo como deveria.



Prometo ver o mundo como se você fizesse parte dele. Como se o fosse.



Será que aí, eu finalmente serei bom?



Passado. Amargura. Arrependimento. Tortura.



Fui frio e impiedoso porque quis esconder minha fraqueza.



Eu tinha uma única.



Te amar demais. Tanto que chegava a doer.  



Estou assustado. Você saberia o que fazer.



Eu duvidei do amor.



Me desculpe pelas feridas que lhe causei.



Me desculpe por ter me escondido nas sombras por todos esses anos. Você é a minha luz.



Esperança.



E por isso, eu serei um homem bom.



Por todas aquelas vezes que não pude demonstrar que sua boca pertencia somente a mim.



Que nossos corpos eram perfeitos juntos, mais ainda quando se chocavam um no outro.



Você sorria. Eu me sentia vivo.



É realmente tarde demais para tentar ser bom?



Sabe, Potter, você pode não ter sido o meu primeiro amor, mas foi capaz de tornar todos os outros irrelevantes.



                                                                                                                                                             Draco Lúcio Malfoy



 


Compartilhe!

anúncio

Comentários (0)

Você precisa estar logado para comentar. Faça Login.